Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

“Abre o cofre ou mato o teu marido”

"Abre o cofre ou mato o teu marido". Foi com esta agressividade que o quarteto que roubou a residência de Victor Vieira, 69 anos, se dirigiu à mulher do ourives assaltado e espancado, anteontem, em Espinho. O casal, que perdeu mais de dez mil euros, já regressou ontem ao trabalho.
7 de Junho de 2009 às 00:30
Vítimas voltaram ao trabalho, apenas um dia depois do violento assalto
Vítimas voltaram ao trabalho, apenas um dia depois do violento assalto

"A vida continua. Tínhamos imensas encomendas para entregar e, nesta altura de baptismos, não podemos dar-nos ao luxo de não vir trabalhar. Temos de seguir em frente", disse Victor Vieira ao CM.

Com as marcas das agressões bem vincadas na face, o ourives relembrou o momento em que lhe foram apontadas uma metralhadora e pistolas. "Temi pela vida. Eles eram portugueses, jovens, entraram com capuzes a tapar a cara e vestidos todos de preto", descreve o comerciante.

Para Victor, o assalto foi premeditado: a forma como os ladrões actuaram leva o ourives a pensar que foi "tudo planeado". "Eles sabiam o que queriam. Nunca me apercebi que estivesse a ser seguido por alguém, porque uma pessoa também não pensa nisso até acontecer uma tragédia destas", afirma o dono da ourivesaria Victor, situada no centro de Espinho e que já foi alvo de furtos no passado.

O comerciante e a mulher têm recebido a solidariedade dos amigos. "É bom saber que temos quem nos ajude nestas alturas. Mas custa ter de relembrar tudo o que se passou", confessa Victor Vieira.

A PJ investiga, mas os ladrões estão ainda a monte.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)