Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

ABRIU HOSPITAL DA BONECADA

Cerca de 1500 crianças são esperadas esta semana no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, onde são atendidas por um inexperiente estudante do 1.º ano de Medicina. Mas esta medida insólita não visa responder à falta de pediatras.
16 de Março de 2004 às 00:00
A iniciativa começou ontem e desenrola-se até final da semana
A iniciativa começou ontem e desenrola-se até final da semana
As crianças, desta vez, são os 'pais' dos seus bonecos preferidos, esses sim sofrendo terríveis dores de barriga, e os estudantes de Medicina vestem - muitos pela primeira vez - a bata de médico.
Aquele hospital especializado em menores recebe pela terceira vez desde 2001 crianças dos três aos seis anos, numa iniciativa da associação de estudantes da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa (AEFCML), que pretende assim desmistificar o hospital na mente das crianças e dar aos futuros médicos experiência no contacto com os doentes.
Passando pela sala de espera, de triagem e de tratamento, os 'pequenos pais' vão ter de lidar com o médico, explicar os sinais e sintomas do seu 'filhote', ouvir e compreender o diagnóstico e aplicar os curativos.
Ursinhos com gesso na perna, bonecas com penso na testa ou palhaços com a barriga doente receberão receitas como 200 miligramas de carinho e cinco beijinhos duas vezes ao dia, que os pais "se empenham e compenetram em cumprir à risca", diz Isabel Lucas, educadora de infância que na última edição acompanhou um grupo de crianças.
Ver comentários