Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Adotado da IURD que matou a mãe com 20 facadas absolvido de homicídio devido a esquizofrenia

Tribunal considerou que o arguido "não possui capacidades mentais para avaliar o crime".
Sofia Garcia 22 de Outubro de 2021 às 15:04
Lucas Paulo matou a mãe, Tereza Paulo, com mais de 20 facadas
Lucas Paulo matou a mãe, Tereza Paulo, com mais de 20 facadas FOTO: Direitos reservados
O acordão do tribunal a que o CM teve acesso refere que Lucas Paulo foi absolvido de homicídio qualificado por "não ter consciência dos atos" devido à doença de esquizofrenia paranóide.

Em vez disso, o adotado da IURD que matou a mãe com 20 facadas foi declarado culpado do crime de homicídio simples, sem culpa e considerado inimputável perigoso.

O crime de homicídio acabou por ser desqualificado devido aos problemas mentais de Lucas Paulo, já que o tribunal considerou que o jovem "não possui capacidades para avaliar o crime"

Ao arguido foi aplicada a medida de segurança de internamento por um mínimo de 3 anos e limite máximo de 16 anos.

Tereza Paulo, mãe adotiva de Lucas, tinha 53 anos quando foi assassinada pelo filho, na casa onde viviam em Paio Pires, Seixal. A autópsia identificou 75 golpes desferidos com duas facas de cozinha e um x-ato.

Lucas Paulo foi adotado quando o pai era bispo da Igreja Universal do Reino de Deus. O relatório social refere que o jovem cresceu apenas em contacto com pessoas da IURD e que ficou isolado socialmente quando o pai deixou a organização.

O jovem de 23 anos tinha problemas de sociabilização e passava a maioria dos dias fechado em casa. A mãe adotiva não gostava do seu comportamento e, no final do ano passado, andava a instar para que o jovem procurasse um emprego. Tanto insistiu que nos primeiros dias de novembro o rapaz diz ter "perdido a cabeça".




IURD Lucas Paulo crime lei e justiça
Ver comentários