Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Advogado das câmaras pede ajuda a Jardim

O advogado das câmaras de Setúbal, Sesimbra e Palmela no processo contra a co-incineração na cimenteira da Secil, no Outão, Arrábida, iniciada em Dezembro, encontra-se no Funchal, onde foi pedir auxílio a Alberto João Jardim “nesta luta contra o Governo”. Castanheira de Barros disse ao CM ter-se deslocado ao Funchal na qualidade de primeiro subscritor da petição contra a co-incineração em Souselas e que o princípio em causa é o mesmo.
4 de Janeiro de 2007 às 00:00
Secil iniciou co-incineração
Secil iniciou co-incineração FOTO: Manuel Moreira
“A queima de substâncias perigosas deixa resíduos tóxicos permanentes”, defende o advogado, para quem as conclusões da Comissão Científica Independente estavam viciadas “quando a remuneração dos técnicos dependia dessa mesma co-incineração”. Assim, depois de Alberto João Jardim ter prometido apoiar “todas as lutas contra o Governo”, o advogado foi ao Funchal pedir “auxílio político e financeiro ao líder do PSD da Madeira”.
Também a Assembleia Metropolitana de Lisboa (de maioria CDU) exigiu a “suspensão imediata da queima de resíduos perigosos na cimenteira da Secil”, em Outão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)