Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Agentes da PSP não têm transporte

Está instalado o mal-estar na PSP de Braga. Em causa o facto dos agentes serem alegadamente forçados a integrar a lista de gratificados para o policiamento dos jogos de futebol e também não lhes ser concedido transporte para a deslocação aos estádios.
21 de Abril de 2008 às 00:30
Agentes chamados a trabalhar nos jogos de futebol
Agentes chamados a trabalhar nos jogos de futebol FOTO: Estela Silva / Lusa

"Somos obrigados a fazer os jogos porque os voluntários não chegam para as encomendas e ainda temos de ir no nosso carro particular", disse ao CM um agente da PSP que solicitou o anonimato.

A revolta é evidente, mas ecoa em surdina até porque os agentes são obrigados a prestar o serviço nas suas horas de folga. "Temos de ir no carro particular ou a pé. No caso do estádio do Braga, fica a dois quilómetros da esquadra. Para além da distância há o risco de sermos vitimas de represálias dos adeptos que porventura possamos advertir durante o jogo", vincou outro agente.

"Por que é que o comandante do policiamento até pode levar motorista e nós não temos direito a transporte? Quando aquela área era da GNR, eles tinham transporte", considerou o mesmo polícia. Ao que apurámos, o caso não é único e repete-se um pouco por todo o País.

O CM tentou ouvir o comandante da PSP de Braga, mas não foi possível até ao fecho desta edição.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)