Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

“Agora está tudo bem outra vez”

"Agora está tudo bem outra vez." As palavras são de Josefina Varela, mãe do rapaz de 19 anos que esteve um mês detido por ser o principal suspeito do homicídio de Eucride no Colégio de Pina Manique, a 12 de Dezembro, e que anteontem foi libertado depois de a Polícia Judiciária prender o verdadeiro assassino. "Agora só queremos que tudo volte ao normal", diz.
17 de Janeiro de 2009 às 00:30
António saiu do Estabelecimento Prisional de Lisboa anteontem à noite, após detenção de outro suspeito
António saiu do Estabelecimento Prisional de Lisboa anteontem à noite, após detenção de outro suspeito FOTO: João Cortesão

Ontem à tarde, a família de António Varela estava de novo reunida na sua casa no Casal da Mira, na Amadora. Ao CM, o jovem confessou sentir-se "animado por agora estar tudo resolvido", e admitindo ter participado na invasão do Colégio de Pina Manique, acusa os amigos de traição. "Foram quase todos falsos. Sabiam que não era eu, mas incriminaram-me só para se verem livres do assunto. Isso ajudou a que fosse preso", desabafa António.

"Fui injustiçado. Eu estava lá [quando Eucride foi esfaqueado nas costas] e até conhecia o rapaz de vista, mas quando deram a facada eu estava no refeitório. Mas agredi duas pessoas que depois testemunharam contra mim e, por vingança, disseram que fui eu a matar."

António confessou ainda ao CM, que no mês em que esteve no Estabelecimento Prisional de Lisboa nem tudo foi mau. "Ganhei muitos amigos, gente que nem conhecia", diz. "Agora estou livre. Este inferno acabou", conclui.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)