Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Agressor de ex-polícia defende Pinto da Costa

Paulo Lemos, testemunha de Pinto da Costa nos processos que opõem o presidente do FC Porto à ex-companheira Carolina Salgado, participou na agressão a martelo ao ex-polícia Jorge Miguel Lourenço, conhecido pela alcunha de ‘Van Damme’. A vítima, de 33 anos, está em coma no Hospital S. João, no Porto, desde a madrugada de 22 de Outubro, quando foi sucessivamente atingido com um objecto de ferro à porta da discoteca Vogue, na zona industrial do Porto.
2 de Novembro de 2009 às 00:30
Paulo Lemos é testemunha de defesa de Pinto da Costa nos processos que opõem o presidente do FC Porto a Carolina Salgado
Paulo Lemos é testemunha de defesa de Pinto da Costa nos processos que opõem o presidente do FC Porto a Carolina Salgado

O CM sabe que Paulo Lemos, que diz ter sido namorado de Carolina Salgado, está indiciado por tentativa de homicídio qualificado. A agressão ocorreu no final de uma noite de copos, quando Paulo Lemos estava acompanhado por Albano, segurança de discotecas em Albufeira, e ‘Bertinho do Lagarteiro’, que já cumpriu pena por tráfico de droga.

O grupo tinha ido ver o jogo do FC Porto no Dragão para a Liga dos Campeões e decidiu ir a vários bares. A noite terminou à porta da Vogue – e da pior forma. Os amigos foram impedidos de entrar, o que irritou Albano, que deu um soco num porteiro. ‘Van Damme’ serenou os ânimos, mas acabou agredido à martelada.

DEPOIMENTO IRRITOU JUÍZES NO S. JOÃO NOVO

Na passada sexta-feira, no Tribunal de S. João Novo, no Porto, no julgamento em que Carolina é acusada de ter mandado incendiar os escritórios de Pinto da Costa e do advogado Lourenço Pinto, Paulo Lemos foi ouvido como testemunha. O autor confesso dos incêndios garantiu que agiu a mando da ex-companheira de Pinto da Costa. Mas irritou os juízes em diversos momentos do seu depoimento, levando mesmo um dos magistrados a desabafar: "É a primeira testemunha que eu vejo a dizer ‘eu fiz’ em vez de ‘eu vi’", afirmou João Grilo.

A outro passo do seu testemunho, Paulo Lemos foi mandado parar. Falou de Pinto da Costa como ‘presidente’ e os juízes perguntaram-lhe porque o fazia. Interrogaram--no também se não teria sido alguém do FC Porto a mandá-lo acusar Carolina Salgado dos crimes.

SEGURANÇA ALGARVIO DIZ TER SIDO SOVADO COM MARTELO

Daniel Albano, que a Polícia Judiciária acredita ter sido o principal autor das agressões com o martelo a ‘Van Damme’, à porta da discoteca Vogue, apresentou queixa na PSP, depois de ter recebido tratamento no Hospital S. João, no Porto. Ao CM garantiu ter sido sovado com o mesmo martelo por João Cabreiros, gerente do espaço de diversão nocturna e ex-pugilista.

Albano deu entrada na unidade hospitalar onde ‘Van Damme’ foi levado por amigos. O ex-polícia ainda tentou ocultar o caso, garantindo que tinha caído. No entanto, os ferimentos que sofreu provocaram-lhe uma hemorragia cerebral que o atirou para o estado de coma em que ainda se mantém – ao fim de dez dias. A investigação da Polícia Judiciária continua.

PORMENORES

EX-AGENTE DA PSP

Jorge Lourenço, conhecido por ‘Van Damme’, era polícia na 18.ª esquadra da PSP do Porto. Foi expulso da polícia há cerca de seis meses por fazer segurança ilegal em discotecas. Está em coma há dez dias.

INDICIADO POR CRIME

Paulo Lemos está indiciado por tentativa de homicídio qualificado. No entanto, e caso a investigação da Judiciária do Porto demonstre que apenas Albano usou o martelo durante a rixa, Paulo Lemos poderá ser acusado de co-autoria de homicídio.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)