Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Agridem ourives de bastão eléctrico

"Nunca vi nada assim. Já foram muitos os assaltos aqui, mas nunca com esta violência", comentavam ontem os populares à porta da ourivesaria JMCR Jóias, em Mozelos, Santa Maria da Feira, depois de o dono ter sido brutalmente agredido com um bastão eléctrico e uma marreta por dois ladrões que fugiram com um saco cheio de peças em ouro.
11 de Março de 2011 às 00:30
Francisco Assis dentro da ambulância dos bombeiros de Lourosa, que o levaram ao Hospital Santo António, no Porto. Na loja, os investigadores fizeram ontem várias perícias
Francisco Assis dentro da ambulância dos bombeiros de Lourosa, que o levaram ao Hospital Santo António, no Porto. Na loja, os investigadores fizeram ontem várias perícias FOTO: Nuno Fernandes Veiga

Francisco Assis, de 66 anos, sofreu hematomas na cabeça, um golpe de cerca de 20 centímetros entre o ombro e as costelas e um outro na zona dos rins. Foi operado e está livre de perigo. "Nem a um bicho isso se faz", dizia uma testemunha.

Foi pelas 11h15 que Francisco Assis saiu da padaria ao lado da ourivesaria, na rua do Cedro, e se dirigiu para a loja. À porta estava um homem, de fato e gravata, que se terá apresentado como cliente. "Só assim ele abriria a porta e o deixaria entrar", conta João Espírito Santo, testemunha e amigo da vítima. Logo depois de o ourives entrar com o suposto cliente, o cúmplice, que estaria escondido, tentou segui-los, só que não contava que Francisco Assis fechasse a porta como medida de segurança.

"Estávamos do outro lado da rua quando vimos um homem com uma marreta a partir o vidro da porta", recorda Vítor Sá, testemunha. Lá dentro, o outro assaltante, munido de um bastão eléctrico, aplicou um choque ao ourives, antes de o agredir violentamente até lhe partir a arma no corpo. Depois, o cúmplice conseguiu entrar e bateu na cabeça da vítima com uma marreta. O ourives caiu sobre a montra estilhaçada, ferindo--se gravemente. "O cenário era aterrador", diziam as testemunhas. Os ladrões fugiram num carro estacionado nas traseiras do prédio.

O ourives foi assistido por uma equipa do INEM e pelos bombeiros de Lourosa, que o transportaram para o Hospital de Santo António, no Porto, onde foi operado devido à grave hemorragia que tinha. A Polícia Judiciária investiga.

"AMEAÇÁMOS OS GATUNOS"

"Quando percebemos, começamos a gritar e a ameaçar os gatunos. Eles agarraram no saco preto com o ouro e fugiram , mas deixaram cair muitas peças pelo chão", recorda ao CM João Espírito Santo, amigo do ourives e testemunha.

"Estávamos do outro lado da estrada e quando vimos o que se estava a passar gritámos que a GNR estava a chegar, para tentar assustar os ladrões", conta Vítor Sá.

ASSALTO LADRÕES OURIVES BASTÃO ELÉCTRICO PORTO HOSPITAL
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)