Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Água aumenta

O projecto de tarifário da Águas do Algarve para 2008 aponta para um aumento de 15,2% no valor a cobrar pelo tratamento de esgotos aos municípios, enquanto o preço da água de abastecimento subirá 2,3%, apurou o CM. A Algar – empresa responsável pelo tratamento de lixo – também já definiu a tarifa para o próximo ano, estando prevista uma pequena descida. Estas actualizações de preço terão naturais reflexos no bolso dos algarvios.
11 de Outubro de 2007 às 00:00
Águas do Algarve justifica aumento com investimentos em  ETAR
Águas do Algarve justifica aumento com investimentos em ETAR FOTO: Paulo Marcelino
Artur Ribeiro, administrador da Águas do Algarve, justifica o substancial aumento no saneamento com “os grandes investimentos que estão a ser feitos na região”. Segundo este responsável, a empresa já despendeu em estações de tratamento “95 milhões de euros” e estão em fase de implementação novos equipamentos no valor de “190 milhões”. Os esgotos da região são encaminhados actualmente para 73 ETAR, mas várias estão obsoletas e serão desactivadas.
Ao contrário do que aconteceu com o sistema de abastecimento de água – cujos investimentos foram comparticipados em cerca de 85% pela União Europeia –, no saneamento as ajudas comunitários ficam-se pelos 10%. E como a empresa tem de investir mais, a lógica é que venha também a cobrar mais. Neste momento, um metro cúbico de água é mais barato do que um metro cúbico de esgotos.
O agravamento do tarifário do sistema em alta vai ter reflexos na factura paga pelos munícipes, dado que, conforme referem autarcas ouvidos pelo CM, “as Câmaras não podem cobrar um valor inferior ao preço de custo”.
Portimão era o único município algarvio que ainda não fazia parte do sistema multi municipal de tratamento de esgotos. A adesão deu-se recentemente e os efeitos serão sentido a partir do próximo mês pelos munícipes – o aumento é de quase cem por cento.
LIXO
Ao contrário da água e do saneamento, o tarifário respeitante aos resíduos sólidos não sofrerá agravamento. Pelo contrário: a Algar prevê uma descida de 0,55%.
Hélio Barros, administrador da empresa, afirma que o segredo está no aproveitamento das oportunidades de negócio. Nos aterros sanitários da Algar é feita, por exemplo, a produção de energia a partir de biogás e futuramente deverá ser instalado um parque eólico na infra-estrutura do Sotavento.
PORMENORES
ESGOTOS
As Câmaras pagam 0,45 euros por metro cúbico de águas residuais. Em 2008 o preço será de 0,52 euros. A água custa 0,41 euros e vai passar para 0,42. Os resíduos sólidos urbanos representam um custo de 34,51 euros por tonelada, valor que descerá para 34,32 euros.
OUTROS CUSTOS
As autarquias pagam ainda taxas para o Instituto Regulador de Águas e Resíduos. A de gestão de resíduos representa um custo de dois euros por tonelada e a de controlo de qualidade de água é de 1,5 euros por cada mil metros cúbicos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)