Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ajuda autárquica a obras em habitações degradadas

A ideia é acabar com as deficiências habitacionais do concelho de Ponte da Barca, que ocorrem sobretudo em casas construídas até aos anos 50 e que, devido à passagem do tempo, precisam de obras de recuperação
4 de Junho de 2007 às 00:00
Esta é uma das casas, em Ponte da Barca, habitada por um casal de idosos, a precisar de obras urgentes
Esta é uma das casas, em Ponte da Barca, habitada por um casal de idosos, a precisar de obras urgentes FOTO: direitos reservados
Para isso, a autarquia pediu a colaboração do Instituto Nacional de Habitação, que se prontificou a estabelecer uma parceria, mediante a apresentação de candidaturas ao programa comunitário Solarh, que passa pelo empréstimo, sem juros, de uma quantia para obras, inferior a 12 mil euros.
“As casas antigas, além da sua natural degradação, não possuem as condições que hoje são consideradas indispensáveis para uma habitação condigna, como casas de banho, tectos e paredes devidamente isolados, etc. Por isso, resolvemos avançar com esta campanha de recuperação das habitações”, disse ao CM o presidente da Câmara de Ponte da Barca, Vassalo Abreu.
Referindo que a autarquia, por si só, não tinha condições para levar a cabo este “ambicioso” projecto, o autarca realça a importância da colaboração do Instituto Nacional de Habitação, referindo que se tratou de “uma parceria que pode vir a dar frutos extraordinários”.
O projecto, que há-de estender-se a todo o município, viu já aprovada a candidatura ao programa Solarh na freguesia de Ruivos, onde mais de uma dezena de habitações necessitam de intervenção com a maior urgência.
Segundo as regras da candidatura, o custo das obras a realizar não pode exceder os 11 971,15 euros e o pagamento do empréstimo pode ser efectuado num prazo máximo de 30 anos. Quanto ao valor da prestação, este há-de ser calculado em função dos rendimentos actuais do agregado familiar.
As candidaturas a este empréstimo sem juros podem ser apresentadas no sector de Saúde e Acção Social da Câmara Municipal de Ponte da Barca.
PROBLEMAS DAS CASAS DE PONTE DA BARCA
LEVANTAMENTO
Para que ninguém fique sem apoio, os serviços de Acção Social da Câmara de Ponte da Barca estão a realizar um levantamento dos problemas habitacionais do concelho, o qual deve estar concluído dentro de um mês. Ao todo, devem ser mais de 100 casos.
IDOSOS
Um dos problemas que mais preocupa o autarca barquense é o facto das habitações em pior estado serem habitadas, regra geral, por idosos e, muitas vezes, com pessoas deficientes no agregado familiar. Vassalo Abreu promete dar prioridade a estes casos.
SANITÁRIOS
Além de paredes ou telhados em ruína e soalhos podres, o problema mais premente da maioria das casas é a inexistência de casa de banho. Ainda se encontram casas com uma retrete em madeira, sem nenhum tipo de esgoto ou água canalizada.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)