Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Alegado homicida de GNR conhece quarta-feira acórdão do Tribunal de Beja

A leitura do acórdão acontece mais de dez meses após o crime .
28 de Outubro de 2014 às 17:04
Tribunal de Beja
Tribunal de Beja FOTO: Direitos Reservados

O homem, de 35 anos, acusado de matar a tiro um cabo da GNR reformado, de 55 anos, em dezembro do ano passado, em Serpa, conhece na quarta-feira o acórdão do Tribunal Judicial de Beja.

O arguido, que está em prisão preventiva, é acusado de um crime de homicídio qualificado, um crime de violência doméstica agravado e dois crimes de detenção de arma proibida, disse hoje à agência Lusa fonte ligada ao processo. A leitura do acórdão do coletivo de juízes, agendada para as 14h30 de quarta-feira, acontece mais de dez meses após o crime (23 de dezembro 2013) e cerca de um mês depois do início do julgamento (primeira audiência foi a 25 de setembro).

O crime ocorreu junto a um café da cidade de Serpa, cerca das 22h20 de 23 de dezembro de 2013, quando o arguido, alegadamente por razões passionais, se envolveu numa troca de tiros com a vítima, que foi atingida na coxa esquerda e na cabeça, provocando-lhe a morte.

Após o crime, o arguido fugiu com duas armas, a sua carabina e uma pistola, supostamente da vítima, mas acabou por ser detido pela GNR, no dia seguinte, depois de algumas horas barricado numa casa na aldeia de Pias, no concelho de Serpa. Segundo a GNR, foi o proprietário da casa, alegado amigo do arguido, que "serviu de intermediário" nas negociações com as autoridades.

acórdão do Tribunal de Beja GNR homicida
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)