Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Aleixo promete protestos

Quando o executivo da Câmara do Porto estiver esta manhã a aprovar o plano de demolição e requalificação do Bairro do Aleixo, vai ter certamente à porta uma representação de moradores que protestam pelo facto da autarquia estar a tomar decisões sem qualquer tipo de auscultação prévia aos residentes do bairro.
22 de Julho de 2008 às 00:30
Demolição é inevitável mas moradores querem discutir o seu futuro
Demolição é inevitável mas moradores querem discutir o seu futuro FOTO: António Rilo

Os moradores das torres do Aleixo já anunciaram, de resto, a intenção de avançar com uma providência cautelar a fim de travar a demolição, mas o advogado a quem entregaram a defesa dos seus interesses, Tiago Machado, afirma estar à espera de uma decisão formal da autarquia para avançar com a contestação. Com a providência cautelar, os moradores pretendem impedir a celebração de quaisquer contratos visando a demolição e realojamentos.

A reunião de Câmara hoje, deverá ratificar a proposta de Rui Rio para a demolição do bairro e realojamento dos moradores na Baixa portuense, em habitações recuperadas ou a construir pelo fundo de investimento imobiliário que vai ser constituído em parceria com a autarquia, que pretende ficar representada com uma quota a definir entre os dez e os trinta por cento.

PSD e CDS asseguram a maioria dos votos e o PSjá assumiu que a proposta parece "correcta". CDU e BE estão contra.

PORMENORES

TORRES

O Bairro do Aleixo integra cinco torres, cada uma com 12 pisos, onde residem 1300 moradores.

CRIMINALIDADE

O Aleixo é um dos bairros mais conotados com o consumo e tráfico de droga, e onde ocorrem frequentemente cenas de violência.

ORIGEM

Os moradores do bairro são oriundos da zona da Ribeira, de onde saíram em 1974.

DESTINO

Agora, o plano é realojá-los na Baixa, bem perto do local de onde são originários.

 

 

Ver comentários