Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Alemão diz ter dado filha a desconhecidos

Dorries diz que Alexandra está viva e que a entregou a dois turistas que estavam na praia
23 de Julho de 2010 às 00:30
Gunnar Dorries, principal suspeito da morte de Georgina Zito, garante que a filha de ambos, Alexandra, foi entregue a um casal e que está viva
Gunnar Dorries, principal suspeito da morte de Georgina Zito, garante que a filha de ambos, Alexandra, foi entregue a um casal e que está viva FOTO: direitos reservados

Gunnar Dorries, o alemão suspeito de assassinar a amante Georgina Zito e a filha Alexandra, de um ano e meio, garante que a bebé, cujo paradeiro é desconhecido, está viva e foi entregue a um casal de turistas que se encontrava na praia do Canavial, em Lagos, local onde o crime aconteceu.

O homicida, que terá afogado a angolana a 10 de Julho, diz que, após abandonar o corpo da amante, pegou em Alexandra e deixou-a com dois desconhecidos, pedindo que cuidassem da filha. Quer para as autoridades alemãs quer para a Polícia Judiciária de Portimão, a versão de Dorries não tem credibilidade . A polícia está convicta de que Alexandra está morta. "Depois das notícias veiculadas, se alguém tivesse a criança consigo já a tinha entregue. É impossível acreditar nesta versão. O mais certo é a menina estar morta", disse à comunicação social a procuradora alemã Elizabeth Eherl.

A autópsia realizada ao corpo de Georgina confirma a tese de crime. A mulher apresentava ferimentos defensivos, o que indicia que lutou com o amante para impedir que aquele a afogasse. "Tudo indica que ela lutou pela vida e que morreu em agonia", declarou o detective-chefe Richard Theiss. A procuradora Elizabeth Eherl acredita ainda que os crimes foram premeditados: "Ele tomou a decisão de as matar antes das férias."

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)