Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Amante de Rosa Grilo já está em liberdade

Acusação do Ministério Público atribui a António Joaquim a autoria do disparo sobre Luís Grilo, na presença de Rosa Grilo.
Correio da Manhã 6 de Dezembro de 2019 às 14:32
António Joaquim disse que a 15 de julho estava com os filhos em casa
António Joaquim é o suspeito de matar o triatleta Luís Grilo
Advogado do amante de Rosa Grilo defende que Procurador do MP está a ser pressionado
Rosa Grilo e amante regressam ao tribunal de Loures para quarta sessão de julgamento
António Joaquim
António Joaquim
António Joaquim, cúmplice no crime, tapou a cara com a roupa após interrogatório
António Joaquim disse que a 15 de julho estava com os filhos em casa
António Joaquim é o suspeito de matar o triatleta Luís Grilo
Advogado do amante de Rosa Grilo defende que Procurador do MP está a ser pressionado
Rosa Grilo e amante regressam ao tribunal de Loures para quarta sessão de julgamento
António Joaquim
António Joaquim
António Joaquim, cúmplice no crime, tapou a cara com a roupa após interrogatório
António Joaquim disse que a 15 de julho estava com os filhos em casa
António Joaquim é o suspeito de matar o triatleta Luís Grilo
Advogado do amante de Rosa Grilo defende que Procurador do MP está a ser pressionado
Rosa Grilo e amante regressam ao tribunal de Loures para quarta sessão de julgamento
António Joaquim
António Joaquim
António Joaquim, cúmplice no crime, tapou a cara com a roupa após interrogatório
O homem acusado da morte do triatleta Luís Grilo, em coautoria com a mulher da vítima, Rosa Grilo, já saiu em liberdade.

O advogado do arguido, Ricardo Serrano Vieira, revelou que o cliente está "cansado"e que "precisa de descansar". Confirmou a alteração da medida de coação decidida pelo coletivo de juízes que está a julgar o processo no tribunal de Loures, acrescentando que se estava a deslocar para o Estabelecimento Prisional da Polícia Judiciária para ir buscar o seu constituinte, que se encontra em prisão preventiva.


Ricardo Serrano Vieira explica que no despacho judicial "alteraram as circunstâncias que determinaram a medida de coação mais gravosa e deixa de ser necessário a privação da liberdade". Assim, António Joaquim vai aguardar o desenrolar do processo com termo de identidade e residência. O causídico não confirma o regresso do amante à atividade profissional, como funcionário judicial.

"Acredito que seja um momento muito emotivo para os dois", diz o advogado sobre a libertação do cliente, afirmando que fica satisfeito com a decisão.

A advogada de Rosa Grilo, Tânia Reis, anunciou esta tarde que vai apresentar um requerimento para revisão da medida de coação.

A acusação do Ministério Público atribui a António Joaquim a autoria do disparo sobre Luís Grilo, na presença de Rosa Grilo, no momento em que o triatleta dormia no quarto de hóspedes na casa do casal, na localidade de Cachoeiras, Vila Franca de Xira (distrito de Lisboa).

O crime terá sido cometido para poderem assumir a relação amorosa e beneficiarem dos bens da vítima - 500.000 euros em indemnizações de vários seguros e outros montantes depositados em contas bancárias tituladas por Luís Grilo, além da habitação.

O corpo foi encontrado com sinais de violência e em adiantado estado de decomposição, mais de um mês após o desaparecimento, a cerca de 160 quilómetros da sua casa, na zona de Benavila, concelho de Avis, distrito de Portalegre.
Luís Grilo Rosa Grilo Lusa crime lei e justiça justiça e direitos questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)