Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Vive com cadáver da mãe para ficar com reforma

Corpo de professora aposentada estava em decomposição e embrulhado em cobertores, em Sintra.
Daniela Vilar Santos e Joana de Sales 10 de Abril de 2017 às 18:02
Filho da idosa à porta de casa
Filho da idosa à porta de casa
Filho da idosa à porta de casa
Uma professora reformada foi encontrada esta segunda-feira morta na casa onde vivia com o filho, em Almargem do Bispo, Sintra.

O CM apurou que o homem, Pedro, vivia com a mãe morta em casa há mais de um mês para ficar com a reforma da idosa, como de resto confessou à Judiciária – que aguarda pela autópsia para apurar as causas da morte. Não foi detido, mas é, para já, suspeito de fraude à Segurança Social.

A vítima tinha 73 anos e, segundo os vizinhos, já não era vista desde que chegou do hospital onde esteve internada cerca de um mês. O corpo foi encontrado na cama, embrulhado em cobertores e já em avançado estado de decomposição. O alerta foi dado à junta de freguesia pela dona da habitação da antiga professora.

O óbito foi declarado por volta das 18h30 e o corpo foi retirado de casa pelas 20h15 e levado para o Instituto de Medicina Legal. No local estiveram a GNR de Pero Pinheiro e a Polícia Judiciária, que está a investigar o caso. 

O filho da vítima não foi detido, tendo ficado na residência onde vivia com a mãe.

"A verdade só o filho pode contar" 
Os moradores da rua D.Emília, em Almargem do Bispo, afirmaram ao Correio da Manhã que já tinham questionado o filho sobre o desaparecimento da mãe. 

Este terá justificado a ausência da octogenária com o facto de estar a dormir depois de ter regressado do hospital. 

Uma vizinha, que não quis ser identificada, afirmou que "a verdade só o filho pode contar", visto que este viveu mais de um mês com a mãe morta em casa.


idosa cadaver Sintra almargem do bispo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)