Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Amianto em escolas de Sintra estão abaixo do limite legal

Vice-presidente da autarquia diz que "é recomendado fazer medições regulares".
9 de Novembro de 2014 às 17:48
Placas de amianto no telhado de uma escola
Placas de amianto no telhado de uma escola FOTO: Mariline Alves

Um estudo pedido pela Câmara de Sintra, sobre a presença de amianto em 30 escolas do ensino básico, conclui que as fibras no ar estão abaixo do limite de exposição a este material perigoso para a saúde.


De acordo com um relatório do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), a que a Lusa teve acesso, todos os resultados das amostras analisadas "se encontram abaixo do valor limite de exposição a fibras de amianto, não indiciando risco para a saúde dos utilizadores dos espaços avaliados".

O vice-presidente da câmara, Rui Pereira (PS), considerou que, perante o resultado do estudo às coberturas em fibrocimento, "é recomendado para não se mexer e se fazerem medições regulares, para monitorizar que os materiais não se degradam".

O amianto foi um elemento natural usado na construção, em telhas de fibrocimento e revestimentos térmicos e acústicos, até se

confirmar a associação a patologias cancerígenas.

Câmara de Sintra Rui Pereira Sintra
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)