Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Amigo do povo foi condenado

O Tribunal Judicial de Vila Real condenou ontem a doze anos de prisão e ao pagamento de uma indemnização de 70 mil euros à família da vítima, o autor de um homicídio, ocorrido há cerca de um ano na aldeia de Ordonho, em Sabrosa.
21 de Maio de 2008 às 00:30
O povo ficou decepcionado com a condenação de Felisberto Teixeira
O povo ficou decepcionado com a condenação de Felisberto Teixeira FOTO: Almeida Cardoso

O colectivo deu como provado que Felisberto Teixeira, de 74 anos, foi o autor do crime e a decisão acabou por não corresponder aos desejos da população da aldeia, que há uns meses tinha feito um abaixo-assinado a pedir a liberdade condicional e a absolvição do idoso.

Mal a sentença foi conhecida em Ordonho, uma aldeia da freguesia de Gouvinhas, alguns populares manifestaram "profunda tristeza", já que a vítima, Filipe Rebelo, de 33 anos, era considerado um indivíduo "provocador e altamente conflituoso".

António Sousa, habitante de Abrecovo e amigo do condenado, não esperava uma pena tão pesada. "O Felisberto é uma boa pessoa e não sei como vai reagir a esta pena", observou.

De referir que dezenas de habitantes da freguesia de Gouvinhas deslocaram-se ao Tribunal Judicial de Vila Real para presenciar a leitura da sentença, na esperança de uma pena leve.

O crime de que foi acusado o septuagenário, ocorreu por volta das 20h30 de 26 de Junho de 2007, no lugar da Azenha em Ordonho. O septuagenário terá disparado quatro tiros, suspeitando de que a vítima, Filipe Rebelo, de 33 anos, fosse tirar uma pistola do bolso para o atingir. Depois do acto consumado, o idoso foi detido em sua casa pela GNR de Sabrosa, que na altura também apreendeu a arma do crime. Antes da detenção, o homem tinha avisado o seu filho e as próprias autoridades do sucedido.

Filipe Rebelo, era conhecido na aldeia por ser conflituoso e provocador. Um irmão da vítima, Augusto Teixeira, não esquece que no próprio dia do crime a vítima teria estado a provocar a mulher do alegado homicida, a quem terá mostrado "os órgãos genitais".

Uma postura que diversos moradores locais garantiram ser "habitual". Felisberto Teixeira recolheu ao Estabelecimento Prisional de Vila Real.

Ver comentários