Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Andaram aos tiros com GNR

A GNR atingiu com um tiro no ombro esquerdo um dos dois homens suspeitos de disparar contra uma patrulha que se encontrava a fiscalizar o trânsito em Felgueiras. Após um tiroteio e perseguição ao longo de uma hora, nas imediações da Serra de Barrosas, ambos os suspeitos foram detidos num local ermo.
21 de Outubro de 2007 às 00:00
Andaram aos tiros com GNR
Andaram aos tiros com GNR FOTO: Ilustração de Ricardo Cabral
De acordo com a versão da GNR, o caso começou às 23h50 de sexta-feira. Cinco militares da GNR, que se encontravam numa operação STOP, na Rotunda de Barrosas, foram de súbito alvo de disparos oriundos do monte nas proximidades. Depois de dispensarem os automobilistas que tinham retido na operação stop, os militares da GNR, entretanto com o reforço de outros soldados, foram à Serra de Barrosas, à procura dos responsáveis pelos tiros.
Pela 01h00, um Renault Kangoo surgiu de um dos pontos de fuga possíveis, conta fonte da GNR de Felgueiras. Na altura um dos suspeitos, que seguia ao lado do condutor, disparou novamente para a patrulha – com o carro em marcha – e os militares ripostaram. Um deles atingiu o condutor no ombro esquerdo.
O homem foi imediatamente conduzido ao Hospital de Guimarães, enquanto o outro se encontra já em liberdade mediante apresentações trissemanais à GNR de Felgueiras, decidiu ontem o juiz.
Apesar de nenhum ter prestado declarações, a GNR suspeita que os dois homens caçassem furtivamente e tenham alvejado a patrulha, com o objectivo de intimidar os militares.
VÁRIOS DISPAROS
A versão é reforçada com o facto de os militares terem ouvido vários tiros, algures do interior do monte, entre os primeiros disparos e as detenções.
O facto de o automóvel estar com matrícula falsificada acentua ainda mais as suspeitas da GNR, que por essa razão apreendeu o carro, assim como a espingarda caçadeira de canos sobrepostos e as munições.
Ambos os suspeitos foram indiciados por um crime de caça ilegal, por falsificação de documentos e por dois crimes de tentativa de homicídio aos soldados da GNR, primeiro quando estavam na operação STOP e depois aquando do cerco já na Serra de Barrosas.
TINHAM AMBOS ANTECEDENTES
Os dois suspeitos de disparos contra a GNR têm antecedentes por furto de gasóleo e problemas com a Guarda, que os classificou como “conflituosos”. Segundo fonte da GNR, ambos têm protagonizado, nos últimos anos, problemas com militares de diferentes postos, por desobedecerem, habitualmente, às indicações das patrulhas. De acordo com a GNR de Felgueiras, o ataque contra os elementos da patrulha apanhou-a de surpresa, porque nenhum dos suspeitos tinha sido fiscalizado.
PORMENORES
DOIS SUSPEITOS
Os dois suspeitos, de 30 e 26 anos de idade, moram ambos em Felgueiras. O mais velho é operário e reside em Varziela, Felgueiras. O outro, motorista de profissão, mora em Longra, Felgueiras.
GNR REFORÇADA
A GNR de Felgueiras, depois do ataque à patrulha, foi reforçada com o Pelotão de Intervenção e outros militares dos postos das redondezas, tal como do NIC do Destacamento de Felgueiras.
ATAQUES AUMENTAM
O número dos ataques contra as patrulhas da GNR tem subido na área da Brigada 4 da GNR e que abrange a zona Norte do Douro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)