Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Andou de táxi com ladrão

Foi “uma hora e meia de pesadelo”, que H.C. garante não esquecer tão cedo: na madrugada de sexta-feira, o jovem de 18 anos foi ameaçado e roubado por um indivíduo que o obrigou a levantar, em quatro caixas multibanco (ATM) da cidade, 200 euros – o único valor de que dispunha.
13 de Dezembro de 2006 às 00:00
O suspeito acabaria por ser detido pouco depois pela GNR de Albufeira, devido à intervenção de um taxista que transportara vítima e agressor. O motorista conseguiu localizar o indivíduo nessa mesma noite na zona da Oura.
“Tinha estado no Netcafé com um amigo e, às 02h00, estávamos a caminho de um bar, quando fomos abordados nas traseiras do Pingo Doce pelo indivíduo, que nos ameaçou, dando a entender que tinha uma arma. Virou-se para o meu amigo e perguntou-lhe se ele tinha medo de levar uns tiros nas pernas. Assustei-me e decidi que o melhor era cooperar. Ele exigiu que fossemos a uma caixa ATM ali perto. Nessa altura, o meu amigo conseguiu fugir”, revelou ontem H.C. ao Correio da Manhã.
“Ainda fingi que me tinha esquecido do código, mas ele olhou para mim e disse--me: ‘Tens dois segundos.’ Marquei logo o número e ele obrigou-me a levantar 100 euros”, adiantou H.C., ainda mal refeito do susto.
O segundo levantamento, de 40 euros, foi efectuado numa ATM junto às bombas da BP, onde o gatuno obrigou a vítima a ir comprar “três sumos”: “Tentei avisar o empregado do posto, mas ele não percebeu o que se passava”, lamentou a vítima. Foi nessa altura que, já cansado de andar a pé, o ladrão decidiu chamar um táxi. “Fomos a mais duas caixas. Numa levantei mais 40 euros e na outra 20, sempre a ser intimidado e ameaçado. Também me roubou dez euros que eu tinha no bolso e tirou-me o telemóvel, que depois devolveu”, referiu H.C., que descreveu o ladrão como “alto e bastante entroncado”.
A vítima adianta ainda ter percorrido “meia cidade para levantar o dinheiro, com o agressor sempre a gritar ameaças”. De acordo com o jovem, o suspeito acabaria por libertá-lo perto de casa mas com um aviso: “Agora já sabes, vê lá o que dizes.” “Eu trabalho num supermercado e ele conhecia-me de lá. Acho que por isso é que não me fez mal”, adiantou H.C.
O taxista tinha deixado o suspeito na Oura, onde o voltou a encontrar cerca das 03h30, depois de alertado por familiares da vítima. O motorista avisou depois a GNR, que acabou por deter o indivíduo.
Presente a Tribunal, o detido, de 21 anos, natural do Barreiro e a residir em Albufeira, ficou em prisão domiciliária. A GNR recuperou a quase totalidade do dinheiro roubado.
TAXISTA LOCALIZOU ASSALTANTE
O taxista que transportou a vítima e o agressor a duas caixas ATM e levou o assaltante para a zona da Oura ajudou as autoridades a localizar o suspeito pouco depois do roubo, o que permitiu a sua detenção por parte da GNR de Albufeira. O motorista, que solicitou o anonimato por razões de segurança, contou ao CM que durante a viagem não notou “nada de estranho” e só depois de alertado por familiares da vítima é que percebeu ter estado envolvido num assalto.
“Pensei que eram clientes normais. Fiz
o serviço e deixei-os nos locais onde me pediram. Só depois é que vim a saber o que se tinha passado”, revelou o taxista que, após o alerta dos familiares da vítima, avisou uma patrulha da GNR e dirigiu-se novamente ao local onde tinha deixado o assaltante. “As autoridades foram atrás de mim e conseguimos localizar o indivíduo, perto do local onde o tinha deixado, junto a um cruzamento. Era um tipo mulato, com pouca idade e não tinha aspecto de ladrão”, recorda. A viagem começou perto do Hotel Paraíso, com paragens junto a dois multibancos e próximo da casa de H.C., que saiu do táxi por ordem do assaltante que seguiu depois para uma zona de animação nocturna, na cidade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)