Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Angola expulsa portugueses

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) angolano deteve 42 portugueses, no passado sábado, por estarem a exercer uma actividade remunerada sem visto de trabalho. Os detidos pertenciam ao Grupo Prébuild que actua nas áreas da construção civil, indústria e serviços.
5 de Julho de 2011 às 00:30
Os 42 portugueses detidos pelo Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola no Aeroporto 4 de Fevereiro
Os 42 portugueses detidos pelo Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola no Aeroporto 4 de Fevereiro FOTO: direitos reservados

"São trabalhadores que necessitavam de revalidar os seus vistos de trabalho e como esse é um processo muito demorado surgiu a infeliz ideia de tentar uma diligência que permitisse ultrapassar esta demora, trazendo os passaportes à embaixada em Portugal porque essa revalidação habitualmente é mais rápida", disse à agência Lusa Margarida Calvinho, assessora de comunicação da Prébuild.

A responsável admitiu tratar-se de um "expediente infeliz", adiantando que a ideia partiu de um dos funcionários da empresa.

Cada um dos 42 trabalhadores vai ter de pagar mil dólares (688 euros) por esta infracção, enquanto empresa foi multada em cinco mil dólares (3440 euros). Estas detenções obrigam a um pagamento que, somadas todas as multas, atinge os 173 mil euros.

Entretanto, o líder da Prébuild, João Gama Leão, reuniu--se ontem com o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, para o inteirar da situação dos trabalhadores e procurar soluções para o problema.

RECUSADOS VOOS EXTRA DA TAP PARA LUANDA

As autoridades angolanas rejeitaram o pedido da TAP de reforçar com mais dois voos a sua frequência semanal para Luanda, pelo que a transportadora portuguesa manterá este Verão 10 frequências na linha Lisboa/Luanda/Lisboa.

"Perante a falta de autorização das entidades angolanas, a TAP viu-se forçada a suspender os dois voos semanais extras programados na linha Lisboa/Luanda/Lisboa além das 10 frequências actuais para o pico deste Verão – de 4 de Julho a meados de Setembro", adiantou a companhia portuguesa em comunicado.

A TAP salienta, no entanto, que "o Memorando de Entendimento estabelecido entre as Autoridades Aeronáuticas dos dois países previa o reforço da operação até às 14 frequências por semana".

O reforço dos voos semanais de e para Luanda para 12, adianta a TAP, visava "corresponder ao aumento de tráfego esperado durante o período de Verão em curso".

ANGOLA PORTUGUESES TAP TRABALHADORES EMPRESA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)