Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Aniversário de luxo

Portugal está há dois dias com menos 1800 homens no dispositivo de segurança nacional. A GNR enviou-os a Lisboa para comemorar os 94.º aniversário da instituição. Apesar do alerta deixado pelo ministro António Costa sobre as dificuldades financeiras, esta força de segurança não se coibiu de montar uma luxuosa operação de celebração.
3 de Maio de 2005 às 00:00
Vindos desde Bragança a Vila Real de Santo António, chegaram ontem a Lisboa – e já treinaram na Praça do Império – mais de 1800 homens e 200 viaturas (todas operacionais) que hoje desfilarão na cerimónia que o primeiro-ministro presidirá na Praça do Império. Nem quilómetros, nem combústivel nem ajudas de custo foram evitados para a festa.
Nas fileiras da GNR há manifestações de desagrado.”O senhor ministro avisa que não há dinheiro, mas para a festa não há quem se preocupe”, disse ao CM um oficial do Sul que pediu para não ser identificado. As dificuldades em haver dinheiro para os vencimentos na GNR até final do ano, referidas por António Costa na Assembleia da Republica não inibiram uma comemoração em grande.
Em resposta a António Costa, o comandante-geral da GNR, tenente-general Mourato Nunes, já veio garantir que a escassez de meios e dinheiro não afecta “o moral” da Guarda.
Um dos oficiais das relações públicas da GNR afirmou ontem que “o desfile e a festa de aniversário já estavam previstos há vários meses”. “É um acto que todos os anos é feito no mesmo local e em moldes semelhantes”, assegurou. O mesmo oficial garantiu que todos os homens irão receber ajudas de custo pelas deslocações, mas não conseguiu, “para já, ter uma ideia exacta da despesa total”. Isto apesar de a festa já ter verba no orçamento decidido em 2004.
O CM apurou que não há memória recente de virem a Lisboa 1800 homens para desfilar – de Portalegre vem praticamente toda a próxima incorporação. Nem o desfile de aniversário alguma vez contou com 200 carros, apesar de sempre terem sido usados automóveis. Recorde-se que a GNR tem um total de 35 mil homens.
O comandante da GNR sabe desde ontem que a Associação dos Profissionais da Guarda (APG) não se fará representar na cerimónia em protesto contra “o despesismo da operação”.
A rejeição do convite foi ontem enviada a Mourato Nunes pelo presidente da APG, José Manageiro, que na missiva afirma que “as referidas comemorações deveriam ter apenas caracter simbólico, priveligiando a contenção das despesas, neste momento difícil para a GNR”.
“O medo de represálias faz com que a operação não tenha sido denunciada”, disse ao CM um comandante da GNR do interior do País que teve de enviar um pelotão para Lisboa. Cerimónias mais pequenas vão existir em todos as cinco sedes de brigadas. Noutra escala, uma operação idêntica está a ser preparada em Viseu, onde se comemorará a 3 de Junho o aniversário da Brigada 5, de Coimbra. Os homens de vários postos já foram convocados.
MAIS MEIOS DO QUE O "NORMAL"
No desfile de hoje na Praça do Império a GNR vai empenhar um número de meios que, segundo fontes militares, é “bem superior” ao habitual em outros anos. Frente ao Mosteiro dos Jerónimos, o desfile vai ser aberto pela Banda de Música e estandartes. Seguem-se os operacionais: Companhia Cinotécnica; quatro Batalhões de Infantaria (de todo o País, incluindo os homens que estiveram no Iraque) e quatro Blocos Motorizados. Entre as viaturas ‘desviadas’ para o desfile, destacam-se aos do Serviço de Protecção de Natureza, Núcleos de Investigação Criminal, Escola Segura, Equipa de Inactivação de Explosivos, os blindados usados no Iraque, e os carros patrulha dos postos, da Brigada de Trânsito e Fiscal. Ambulâncias e carros de transporte de cavalos e cães também não vão faltar.
PORMENORES
ORÇAMENTO MISTÉRIO
Fonte da GNR admitiu ser difícil calcular o orçamento da festa, até porque as ajudas de custo pagas aos militares variam consoante o local onde se encontram colocados. Quase todos vão ficar instalados nas unidades de Lisboa, a única poupança visível.
LISBOA PARADA
Já ontem Lisboa sentiu ‘na pele’ o desfile da GNR. Toda a zona dos Jerónimos e Belém esteve cortada ao trânsito. O mesmo vai suceder hoje.
CONDECORAÇÕES
“A cerimónia conta com vários momentos particularmente significativos, salientando-se a imposição de condecorações e a atribuição dos prémios de Abnegação e Altruísmo”, salienta a GNR.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)