Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Incêndio na Escola São Pedro em Vila Real adia início das aulas

Fogo que deflagrou no passado dia 7 de setembro deixou 13 salas de aula inutilizáveis.
Lusa 12 de Setembro de 2019 às 17:12
Sala de aula
Sala de aula FOTO: Getty Images

A Escola Secundária de São Pedro, em Vila Real, vai adiar o início do ano letivo pelo menos até dia 19 de setembro após um incêndio ter danificado 13 salas de aula recentemente melhoradas, adiantou à Lusa a diretora.

O incêndio, que deflagrou no sábado, dia 7 de setembro, à noite, ao que tudo indica devido a um curto-circuito, deixou 13 salas de aula e outros espaços que tinham sido requalificados "inutilizados" e obrigou a "rever a planificação para a abertura do ano letivo", explicou a diretora da escola de Vila Real, Rita Mendes.

"Eram as salas maiores, que iam acolher as turmas maiores, mas temos agora que reequacionar, o que vai causar algum atraso na entrega de horários para professores e alunos e o próprio início das atividades letivas", explicou.

A solução encontrada foi de fazer de forma faseada o início do ano letivo e, assim, na sexta-feira decorre o 'dia do diploma' com a entrega de diplomas escolares do ano transato.

Na segunda-feira, para os 11.º e 12.º anos, terça, para os 8.º, 9.º e 10.º e quarta-feira, para os novos alunos do 7.º, irá decorrer a receção aos alunos e encarregados de educação.

"Deixamos para o último dia os do 7.º ano para estarem mais protegidos. Esperamos receber os mil alunos na quinta-feira [dia 19 de setembro] para o início do ano letivo dentro da normalidade, mas entretanto teremos sempre as portas abertas", vincou.

Este "revés" na organização do novo ano, numa escola que tem obras de melhoramento a decorrer, irá obrigar à instalação de mais monoblocos (contentores) do que iriam já ser utilizados.

"Tínhamos 17 monoblocos e agora vamos ter mais cinco. Vamos trabalhar com um total de 22 monoblocos e depois iremos utilizar salas que não foram intervencionadas e estavam desativadas para receberem obras", explicou Rita Mendes.

Este incidente irá ainda obrigar a "voltar atrás na planificação das obras que estão a decorrer enquanto não se recupera tudo o que foi perdido".

A diretora da escola de Vila Real assinalou ainda a "célere resolução do problema", numa cooperação entre a escola, município de Vila Real e empresa responsável para encontrarem soluções.

"Estamos todos a trabalhar para quando chegar o momento de arrancar não haja perturbação para os alunos", atirou.

A Escola Secundária de São Pedro, em Vila Real, sofreu obras no valor de 4,5 milhões de euros para resolver problemas de infiltrações, perdas energéticas e falta de acessibilidades neste estabelecimento construído há 60 anos.

Escola Secundária de São Pedro Vila Real Rita Mendes educação escolas questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)