Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

António Costa não quer Puma

O ministro da Administração Interna, António Costa, revelou ontem que não conta com os helicópteros Puma – que estão a ser desactivados na Força Aérea – para combate a incêndios e outras acções de socorro.
19 de Maio de 2006 às 00:00
Os Puma vão ficar em terra
Os Puma vão ficar em terra FOTO: Manuel Moreira
Segundo António Costa, “os Puma e as suas condições de recuperação e manutenção não eram rentáveis relativamente àquilo que encontrámos no mercado. Esse é um problema que está resolvido”. Ou seja, ficar com os ‘helis’ da FA era um mau negócio e o Ministério da Defesa terá de os alienar de outra forma.
Um relatório de especialistas concluiu que para pôr os Puma a combater incêndios, o MAI teria de garantir “os financiamentos necessários e estimados a 15 anos”, avaliados em 171,8 milhões de euros para a operação dos ‘helis’ pelo Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil. Se fossem operados pela FA ou GNR o custo baixaria para 147,3 milhões de euros.
Os estudo destaca ainda a falta de pilotos na FA, sugerindo o recurso a meios do Exército, que tem em Tancos um Grupo de Aviação Ligeira, com pilotos e equipas de manutenção, sem ‘helis’ para operar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)