Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Apoio insuficiente a crianças e idosos

A região quer aumentar, a curto prazo, o número de respostas sociais destinadas à criança, nomeadamente em termos de creches. Nesta valência, o objectivo é conseguir criar mais 1750 lugares, o que corresponde a 50% dos actualmente existentes.
21 de Janeiro de 2007 às 00:00
Criação de mais lugares para crianças, em creches, é prioritária
Criação de mais lugares para crianças, em creches, é prioritária FOTO: José Barradas
Nesse sentido, estão abertas até ao dia 22 de Fevereiro as candidaturas ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), um instrumento considerado “fundamental” para “melhorar o bem-estar da população, nomeadamente através da conciliação da vida familiar e da vida profissional”, segundo referiu ao CM o presidente do Centro Regional da Segurança Social do Algarve, Jorge Botelho. “Este ano, praticamente 50% da dotação orçamental do PARES, correspondente a 50 milhões de euros, destina-se à criação de lugares em creche; quanto aos lares de idosos, são contemplados com cerca de 36 500 euros. Neste sector, o nosso objectivo é conseguir mais 800 lugares, aproximadamente”, esclareceu aquele responsável. Quanto à população deficiente, o grande objectivo do programa é “a criação de lugares em residência autónoma”. Daí que as candidaturas que incluam esta resposta social sejam, na vertente respectiva, consideradas prioritárias.
“Apesar de os valores estarem em fase de actualização, sabemos que no Algarve as taxas de cobertura em termos de equipamentos sociais são ainda inferiores à média nacional. Por isso, estamos empenhados em conseguir – com as autarquias e as instituições particulares de solidariedade social – melhorar a situação e estamos disponíveis para apoiar a elaboração de candidaturas ao PARES. Sabemos que há já várias intenções de candidatura”, adiantou Jorge Botelho.
Em 2006, os resultados globais do PARES no distrito foram considerados positivos, tendo sido aprovadas 14 candidaturas (na maioria relativas a creches) num total de 52. Foram criados 12 novos equipamentos (com 659 lugares) e 216 postos de trabalho. O investimento total foi de 6,8 milhões de euros, dos quais 3,4 vieram do Estado.
MAIS AJUDA DOMICILIÁRIA
“Mais do que criar novas instituições, importa aumentar a capacidade das mesmas, nomeadamente em termos de vagas para idosos”, referiu o presidente do Centro Regional de Segurança Social do Algarve. Jorge Botelho destacou, no entanto, que nesta área “a institucionalização deverá ser o último recurso”. Daí que o reforço do sistema de apoio domiciliário seja considerado prioritário.
Nesse sentido, arrancou recentemente na região a Rede de Cuidados Continuados Integrados, tendo as equipas dos Centros de Saúde de Silves e Loulé recebido já seis viaturas destinadas ao apoio domiciliário.
PORMENORES
CRECHES
O Centro Regional de Segurança Social do Algarve apoia actualmente 63 creches, que são frequentadas por cerca de 2500 crianças. Este número não inclui as creches privadas.
IDOSOS
No Algarve existem 50 lares (com 2300 utentes) que são apoiados pela Segurança Social. A população idosa e dependente corresponde a cerca de 20% da população residente na região (80 mil pessoas).
DEFICIENTES
Na região há apenas cinco lares para deficientes que são apoiados pela Segurança Social. Nesta área, é considerada prioritária a criação de lugares em residência autónoma.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)