Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

“Apontaram-me a arma à cabeça”

O dia de trabalho tinha chegado ao fim e Maria de Fátima Couto, empregada e irmã da proprietária da ourivesaria JoiAlice, na rua do Outeiro, em Sandim, Vila Nova de Gaia, fazia as últimas limpezas para poder fechar a loja. Por volta das 17h00 foi surpreendida por quatro homens encapuzados que pararam um Mercedes azul em frente à ourivesaria. “Pensei logo: ‘Meu Deus, vou ser assaltada.’ Pus o balde da água a tentar tapar a porta, mas um deles deu-me um empurrão e caí”, contou ao CM Maria de Fátima.
9 de Outubro de 2009 às 00:30
A loja, que tem câmaras de vigilância e alarme, já foi alvo de cinco tentativas de assalto nos últimos meses
A loja, que tem câmaras de vigilância e alarme, já foi alvo de cinco tentativas de assalto nos últimos meses FOTO: Nelson Rodrigues

Dois dos assaltantes entraram na loja e foram directos às gavetas onde estavam guardadas todas as peças de ouro e as pedras preciosas. O terceiro encapuzado apontava uma caçadeira à cabeça da funcionária. “Eu ainda tentei dizer para não roubarem porque a minha irmã deve muito dinheiro, mas ele só dizia: ‘Não mexe, não grita’”, relatou ainda muito nervosa.

Na altura do assalto, um condutor ia a passar na rua quando se apercebeu do Mercedes estacionado e de um encapuzado que permanecia dentro do carro. Recuou e anotou a matrícula que, segundo fonte policial, era falsa.

O assalto durou poucos segundos e o grupo fugiu rapidamente. “Foram aos sítios certos onde está o ouro. A minha irmã tem muita prata, porque escondeu o ouro depois das últimas cinco tentativas de assalto. Foram às gavetas, meteram tudo em sacos e fugiram”, relembra Maria de Fátima. Ao CM a proprietária disse não ter ainda feito as contas aos prejuízos, mas acredita que os assaltantes eram “profissionais e conheciam bem a zona”. A investigação está a cargo da PJ.

Ver comentários