Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Área ardida no Algarve superior a todo o ano passado

Foram registados 149 incêndios na região, desde o início do ano até 15 deste mês.
José Carlos Eusébio 29 de Agosto de 2020 às 09:45
Bombeiros combatem incêndio florestal
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiros combatem incêndio florestal
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiros combatem incêndio florestal
Bombeiro
Bombeiros

O Algarve regista este ano menos incêndios rurais mas a área ardida disparou, superando já os valores de todo o ano passado. Dois incêndios são responsáveis por mais de 90% do total da área consumida pelas chamas na região.

Desde o início do corrente ano até ao dia 15 deste mês, foram contabilizados 149 fogos, o que se traduz em menos 161 ocorrências do que em igual período do ano passado, segundo dados do relatório provisório de incêndios rurais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

No entanto, o total da área ardida na região do Algarve atingiu já os 2919 hectares, correspondendo 2053 hectares a povoamentos florestais, 784 a matos e 82 a zona agrícola.

A área ardida é já mais de cinco vezes superior à de todo o ano passado. De acordo com os dados do ICNF, em 2019 arderam apenas 544 hectares na região algarvia.

No corrente ano, há dois incêndios que são responsáveis pela quase totalidade da área ardida. O primeiro teve início no dia 19 de junho, na freguesia da Bordeira, município de Aljezur, alastrando depois aos concelhos vizinhos de Vila do Bispo e Lagos. Arderam 2303 hectares.

O outro grande incêndio rural registado na região teve lugar no dia 6 de julho, na freguesia de São Marcos da Serra, destruindo 536 hectares.

Por concelhos, o mais afetado foi o de Vila do Bispo, com 1829 hectares de área ardida, seguido pelo de Silves, com 541, e Lagos, com 493.

Ver comentários