Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

ASSALTANTES TENTAM ROUBAR MULTIBANCO

O plano estava a ser executado na perfeição até que o cofre tombou para o chão e gorou os intentos dos assaltantes que, ontem de madrugada, tentaram roubar a caixa Multibanco do Crédito Agrícola, no sítio do Chelote, freguesia da Conceição de Faro, nos arredores da capital algarvia.
11 de Outubro de 2003 às 00:00
 Os assaltantes fugiram sem levar a caixa Multibanco
Os assaltantes fugiram sem levar a caixa Multibanco FOTO: cm
A tentativa do roubo, praticada cerca das 02h45, foi antecedida do furto de uma empilhadora e de um camião que os indivíduos utilizaram para carregar o cofre, pertencentes a uma firma localizada a cerca de três quilómetros da dependência bancária, entre Faro e São Brás de Alportel.
Depois de cortarem a ligação ao alarme, instalado no exterior do edifício, os assaltantes avançaram com a empilhadora contra a montra da dependência bancária onde estava instalada a caixa Multibanco e tentaram retirá-la com a ajuda da mesma máquina (popularmente conhecida por monta-cargas) mas o equipamento de levantamento automático de dinheiro tombou, impossibilitando assim o seu carregamento para o camião, previamente estacionado a escassos metros e onde pretendiam fugir com o produto do roubo.
Aparentemente, o peso do cofre (cerca de 1700 quilos) associado à eventual falta de prática dos assaltantes para manobrarem a empilhadora terão inviabilizado o roubo, pelo que os indivíduos acabaram por fugir, abandonando a máquina monta-cargas no local e o camião junto à estrada, a cerca de 500 metros da dependência bancária.
PLANO
Presente ontem no local, o gerente do Crédito Agrícola assaltado recusou revelar pormenores sobre a quantia existente na caixa Multibanco, bem como o montante dos prejuízos causados pela destruição das montras da dependência.
O caso está a ser investigado pelo Grupo de Investigação Criminal do Destacamento de Faro da Guarda Nacional Republicana, que coloca a hipótese de a tentativa de assalto ter sido perpetrada por um mínimo de quatro pessoas, tendo em conta o número de veículos pesados utilizados, bem como a fuga presumivelmente encetada num carro ligeiro, cujo condutor teria por missão supervisionar as "operações".
Divididas ficam por enquanto as opiniões quanto ao aparente "arrojo" dos assaltantes ou a falta de "cuidado" com que planearam o acto, já que a estrada que liga a capital algarvia a São Brás de Alportel, junto à qual está localizada a dependência bancária, regista forte movimento rodoviário durante a noite: "A passagem constante de veículos pode ter atrapalhado os indivíduos, que também não actuaram de forma discreta", considerou fonte policial.
Apesar da sua localização, os assaltantes terão optado por aquela caixa Multibanco tendo em conta a sua vulnerabilidade, já que estava instalada no interior da dependência bancária, protegida apenas por uma montra de vidro.
GRUPO SEM LIGAÇÕES A REDE
As autoridades suspeitam estar perante um grupo isolado, sem ligações a uma presumível rede envolvida em crimes semelhantes no País, a maioria sem resultados para os assaltantes. Um dos primeiros casos ocorreu em Setembro de 2002, em Torres Vedras, quando um grupo, na posse de uma marreta, derrubou uma parede do supermercado Lidl, para roubar a caixa Multibanco, sendo no entanto sido surpreendidos pelo alarme e consequente chegada da Polícia.
Ver comentários