Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Assalto falhado a cofre do casino

O assalto tinha sido bem preparado e, na madrugada de ontem, os quatro homens avançaram para o cofre-forte do Casino de Vilamoura. Acabariam por fugir, de mãos a abanar, traídos pelo fumo provocado pelo maçarico que utilizaram e que fez disparar o alarme de incêndio.
13 de Janeiro de 2011 às 00:30
Os movimentos dos suspeitos foram captados pelas câmaras de vigilância do Casino de Vilamoura
Os movimentos dos suspeitos foram captados pelas câmaras de vigilância do Casino de Vilamoura FOTO: Roberto Pujales

Segundo o CM apurou, os assaltantes estavam todos encapuzados e não teriam quaisquer armas. Entraram no casino pelas traseiras, através da discoteca Black Jack, que se encontrava encerrada e cujas portas forçaram.

Uma vez no interior do edifício, esperaram pelo fecho do casino e que toda a gente saísse (o que ocorreu pelas 05h00). Só então se dirigiram ao alvo, que atacaram com o maçarico. Eram 06h20 quando o alarme de incêndio disparou, o que atraiu de imediato ao local um dos seguranças.

"Eles foram surpreendidos em flagrante pelo segurança. Agarraram-no, agrediram-no a murro e puseram-se em fuga. Não roubaram nada", revelou ao CM o administrador dos casinos Solverde no Algarve, que garantiu haver "pouco dinheiro" no cofre.

Joel Pais, que falou com a vítima "dez minutos depois do assalto", foi uma das primeiras pessoas a chegar ao casino. "Ainda tentei ver para onde é que os grupo se tinha dirigido, mas não consegui", adiantou.

De acordo com o mesmo responsável, até chegarem ao cofre, os assaltantes "rebentaram com outros obstáculos", nomeadamente portas.

Joel Pais frisou ainda que "todos os movimentos dos assaltantes foram captados pelas câmaras de videovigilância do casino" e já foram visionados pela GNR e pela Polícia Judiciária.

SEGURANÇA AGREDIDA A MURRO

O segurança que foi agredido a murro pelos assaltantes "não estava de serviço sozinho. Ele estava a vigiar a porta e foi lá, mas havia mais gente de piquete". A garantia foi dada ao CM por Joel Pais, segundo o qual "não houve sequestro" do funcionário, ao contrário do que chegou a ser divulgado: "Tratou-se de um mal-entendido. Ele disse às autoridades que tinha sido manietado, mas com isso só pretendeu dizer que tinha sido impedido de actuar".

Os assaltantes, que falavam entre si em português, terão fugido a pé, deixando para trás o cofre, já muito danificado. O mesmo responsável sublinha que o casino dispõe de meios de segurança que permitem "conhecer todos os passos dados pelos suspeitos". O Casino de Vilamoura funciona das 15h00 às 04h00 e as suas saídas de emergência são comuns às da discoteca Black Jack.

CASINO VILAMOURA LADRÕES SEGURANÇA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)