Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Assaltou 124 casas

O autor de pelo menos 124 furtos em residências de diversas localidades da Área Metropolitana do Porto, e também em Valença e Caminha, foi anteontem detido por elementos do Dispositivo de Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto, que começou com a investigação em finais de 2004.
13 de Janeiro de 2006 às 00:00
O material apreendido  pela PSP aos receptadores
O material apreendido pela PSP aos receptadores FOTO: Baía Reis
O detido, de 39 anos, solteiro, desempregado e residente no Porto, não ofereceu resistência quando foi abordado pelos polícias – que apreenderam nas casas de três receptadores elevada quantidade de material que o suspeito furtara das residências, nomeadamente artigos em ouro, jóias, dinheiro, telemóveis e relógios.
Os receptadores, residentes no Porto, Gaia e Gondomar, tinham escondido parte dos artigos furtados pelo detido e aguardavam o melhor momento para os comercializarem, já que se movimentavam à vontade nos circuitos do mercado clandestino referenciados pelas autoridades policiais.
Segundo a PSP, o suspeito, quando pretendia assaltar uma residência, fazia primeiro o reconhecimento da área e, seguidamente, verificava se os moradores ali se encontravam para então passar à acção.
O método utilizado pelo assaltante era sempre o mesmo: utilizava um alicate de pressão para rebentar com o canhão das fechaduras.
INVESTIGAÇÕES DEMORADAS
“Não foi fácil localizar o autor dos assaltos por ser um indivíduo discreto. Mas após apurada investigação conseguimos saber algumas das características do assaltante, que nos foi favorável para o apanharmos anteontem em plena via pública, no Porto”, disse ao Correio da Manhã o comissário Rui Mendes, comandante do Dispositivo de Investigação Criminal da PSP-Porto.
O comissário Rui Mendes disse ainda ao CM que o material apreendido será entregue a quem provar pertencer-lhe. Grande parte dos artigos foram descriminados em pormenor nas queixas apresentadas pelos proprietários das residências assaltadas ao longo de um ano.
LIBERTADO COM APRESENTAÇÕES
O suspeito de 124 furtos no interior de residências foi libertado mediante a obrigação de se apresentar três vezes por semana numa esquadra da PSP, segundo decidiu o juiz do Tribunal Judicial de Vila do Conde, onde correm 54 processos contra o suspeito por furtos em Vila do Conde e Póvoa de Varzim. Entretanto, o arguido vai responder por assaltos em outras comarcas, nomeadamente Porto, Gaia, Santo Tirso, Gondomar, Valongo e Espinho, Valença e Caminha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)