Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Atacados por burlona

Dezenas de trabalhadores concentraram-se ontem na rua de Alves Redol, no Porto, onde reside Maria José, solicitadora da empresa Môreda Prestige, que acusam de burla. Irritada com a manifestação à sua porta, a mulher começou a atirar vasos, garrafas de lixívia e pratos pela janela fora.

10 de Maio de 2009 às 00:30
Lesados têm documentos que provam a entrega de dinheiro
Lesados têm documentos que provam a entrega de dinheiro FOTO: Miguel Pereira

Um dos manifestantes acabou por ficar ferido numa mão, pelo que a polícia foi chamada a intervir no local.

Desesperados, exigem que a mulher lhes devolva as centenas de euros que cada um adiantou para se candidatar a trabalho em países africanos e europeus. Muitos deles abandonaram o emprego na esperança de ter um futuro melhor noutro país. Meses depois apenas lhes restam as dívidas.

"Despedi-me da empresa onde trabalhava, queria dar uma vida melhor à minha família, agora não tenho nada. A minha mulher não tem emprego, tenho um filho pequeno e a casa para pagar. Estou desgraçado", contou ao CM Manuel Linhares.

Escondida por detrás das cortinas da janela do andar onde vive, Maria José recusou-se a descer e a prestar qualquer esclarecimento aos trabalhadores. "Confiámos nela, acreditámos que ela nos ia ajudar e agora nem coragem de descer tem. Queremos recuperar o nosso dinheiro e a nossa dignidade", explicou Rosa Maria, uma das vítimas de burla.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)