Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

ATACANTE SEM SAPATOS

Descalço. Foi assim que um homem, de 32 anos, desferiu anteontem uma navalhada num outro homem, perto do Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa. Passada uma hora, o mesmo homem agredia à cabeçada um outro, mas na Rua da Junqueira. O facto de estar descalço denunciou-o perante as autoridades, que o acabaram por deter.
9 de Agosto de 2004 às 00:00
O detido foi a pé do Padrão dos Descobrimentos à Rua da Junqueira
O detido foi a pé do Padrão dos Descobrimentos à Rua da Junqueira FOTO: Vitor Mota
Mas se o suspeito for assim para tribunal poderá correr o risco de ser condenado por falta de respeito em tribunal. "Estou a passar um mau bocado". Foi assim que o agressor explicou à PSP o porquê de ter dado uma navalhada a um cidadão brasileiro, de 35 anos, que passou a seu lado. Uma hora depois, pelas 23h30, um homem de 52 anos era também vitimado, desta vez à cabeçada. As autoridades foram alertadas logo na primeira ocorrência para a situação. "Magro, camisola à cava, barba e descalço", foram as características que a queixa indicou à polícia.
Na segunda chamada, já na Rua da Junqueira, o facto de se tratar igualmente de um homem descalço fez com que as autoridades associassem o suspeito ao primeiro crime. E já perto do Centro de Congressos de Lisboa, acabaram por deter o homem.
Contactado pelo CM, o juiz Hélder Fráguas explicou que "situações destas são raras , mas acontecem". No entanto, cabe aos serviços prisionais providenciarem roupa, neste caso sapatos, aos suspeitos. Mas há também os casos em que os próprios arguidos recusam a roupa dos serviços para se apresentarem aos juízes. Hélder Fráguas lembrou, a propósito destas situações, que "não existe uma lei escrita que estipule a apresentação de um arguido em tribunal, no entanto em caso de desrespeito e desordem o juiz poderá penalizar o arguido".
O juiz recordou, por exemplo, o caso do sueco que, há cerca de dois anos, foi julgado no Barreiro por ter ateado fogo. "O arguido recusou-se sempre a vestir uma camisola e foi julgado em tronco nu. Só que o juiz entendeu que ele era inimputável, pelo que teve de ser internado numa clínica", onde está a cumprir pena.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)