Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Atacava mulheres na rua

Tem 29 anos, é toxicodependente e segundo a PSP de Setúbal é o responsável por uma das maiores ondas de roubos por esticão ocorridas naquela cidade. Em apenas oito dias (23 de Fevereiro a 3 de Março) assaltou pelo menos 14 mulheres, todas com mais de 60 anos. Foi detido minutos depois de mais um roubo e está agora em prisão preventiva.
20 de Março de 2006 às 00:00
Atacava mulheres na rua
Atacava mulheres na rua FOTO: Ricardo Cabral
Nas duas últimas semanas de Fevereiro, o alarme cresceu no Bairro de Santos e no Bairro da Conceição, duas zonas antigas de Setúbal. Durante esse período, a PSP recebeu várias queixas de mulheres, vítimas de roubos por esticão.
“Os roubos aconteciam sempre à tarde. As vítimas, entre os 61 e os 84 anos, eram atacadas por trás, por alguém que lhes roubava as malas ou sacos”, disse ao CM fonte policial.
Face ao acumular de queixas, a Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Setúbal entrou em campo. As primeiras diligências conduziram à identificação de um suspeito: toxicodependente, de 29 anos, sem profissão e sem família, residente numa barraca abandonada no Bairro da Bela Vista.
Já com cadastro por tráfico de droga e furto em residências, o indivíduo foi surpreendido, pelas 14h00 de 3 de Março, minutos depois de ter feito mais um roubo por esticão. Já na posse dos necessários mandados de detenção, agentes da EIC da PSP de Setúbal conseguiram deter o suspeito, na posse de uma mala de mulher acabada de roubar.
Nessa mesma tarde, o indivíduo acompanhou a PSP na realização de uma busca à barraca onde habitava. “Foi possível recuperar diversas malas, carteiras e outros objectos”, acrescentou o mesmo informador.
Ainda no mesmo dia da detenção, a EIC conseguiu convocar seis vítimas, que reconheceram o assaltante. Foi o suficiente para que, no dia seguinte, um juiz de instrução criminal do Tribunal de Setúbal determinasse a prisão preventiva do suspeito.
A continuação das investigações permitiu à EIC acumular um total de 14 queixas de roubos por esticão, imputadas ao suspeito. No entanto, mantém-se em aberto a possibilidade de existirem ainda mais crimes.
A ENTRAR E SAIR DA CADEIA
Há pelo menos quatro anos que a Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Setúbal conhecia o indivíduo que, no princípio deste mês, voltou a deter. Em 2002, numa operação de combate ao tráfico de droga, uma brigada da EIC de Setúbal deteve o suspeito na posse de estupefacientes.
Presente a Tribunal, ficou seis meses preso à espera de julgamento, tendo sido condenado a pena suspensa. No ano seguinte, a EIC de Setúbal voltou a deter o indivíduo, desta vez por alegada participação em vários furtos a residências.
Um juiz de instrução criminal determinou-lhe a medida de coacção de prisão domiciliária. No entanto o suspeito desrespeitou-a, tendo sido novamente detido pela EIC de Setúbal, e desta vez condenado a apresentações trissemanais à PSP.
PORMENORES
FERIMENTOS
Algumas das vítimas do assaltante necessitaram receber assistência médica. Empurradas com violência, caíram ao chão, sofrendo cortes em várias partes do corpo.
LUCROS
Fonte policial assegurou ao ‘CM’ que cada um dos roubos feitos pelo indivíduo lhe proporcionou poucos lucros. “Em média, ele conseguia apenas o equivalente a 20 euros”, disse.
DROGA
Toxicodependente há vários anos, o suspeito não teve pejo em garantir à PSP que usou todo o dinheiro obtido nos roubos para comprar droga, a um ritmo quase diário.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)