Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ataque a turistas com tiro à casa

As marcas do disparo de caçadeira na porta da moradia do casal holandês, em Porches, Lagoa, mostram a violência do ataque que sofreram quando jantavam. Foi o segundo assalto violento a turistas holandeses, em duas semanas.
16 de Abril de 2012 às 01:00
Vítimas foram amarradas com fios de candeeiros e sequestradas num quarto. Gang disparou contra porta e deixou chumbos na casa
Vítimas foram amarradas com fios de candeeiros e sequestradas num quarto. Gang disparou contra porta e deixou chumbos na casa FOTO: Ricardo Cabral

A noite de terror do casal aconteceu na sexta-feira, entre as 22h00 e as 23h00. "Vimos dois homens junto ao portão. Dissemos para se irem embora mas eles deram a volta à casa. O meu marido foi ao jardim e um terceiro homem atacou-o, mas ele conseguiu fechar a porta. Nessa altura ele disparou contra a porta", recordou ao CM a turista holandesa, que subiu ao terraço para pedir ajuda mas sem sucesso.

Seguiram-se os momentos de aflição. "Deram um pontapé na porta do jardim e conseguiram entrar. O meu marido foi obrigado a deitar-se no chão e pontapeado várias vezes", referiu a vítima, que teve sempre uma caçadeira de canos serrados apontada. "Meteram-me a arma na cabeça e um papel à frente para escrever os códigos dos cartões. Depois queriam que abrisse o cofre mas, como não conseguia abrir, gritaram e diziam que me matavam", recorda.

As vítimas foram amarradas com fios dos candeeiros e sequestradas num dos quartos. O gang fugiu com o carro alugado pelo casal, que foi abandonado mais tarde. Levaram dinheiro, relógios, pulseiras, anéis e outras jóias, computador e cartões de crédito, avaliados em mais de dez mil euros.

O homem sofreu ferimentos na cara, cabeça e costelas. Segundo sabe o CM, a Polícia Judiciária, que investiga o caso, suspeita que se trate de um gang de Leste que estará ligado a outros casos do género na região. Este foi o sétimo ataque a estrangeiros em três meses, o que deixa preocupados autarcas e responsáveis do turismo.


EXIGIDO REFORÇO DE EFECTIVO POLICIAIS

Os assaltos violentos a casas de estrangeiros estão a causar preocupação de autarcas e do sector do turismo algarvio, que reclamam mais meios para combater este tipo de criminalidade. "Deve haver um reforço de polícias na região e uma maior utilização dos novos meios tecnológicos, com a ligação destas casas isoladas às centrais das forças de segurança", diz Elidérico Viegas, da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve. Este assalto a holandeses foi o segundo, em menos de duas semanas, no concelho de Lagoa. "É necessário reforçar a vigilância", diz Rui Correia, vice-presidente da autarquia, que está preocupado com os efeitos negativos que estes crimes possam ter no turismo.

CARRO ROUBADO FOI ABANDONADO JUNTO A BOMBA

O carro alugado que o gang roubou da casa do casal foi abandonado a cerca de três quilómetros, junto a um posto de combustível, apurou o CM.

O Chevrolet de cor preta, propriedade de uma empresa de aluguer de viaturas da região, foi encontrado pela Polícia Judiciária na zona da Senhora da Rocha, ainda no concelho de Lagoa.

Os investigadores da PJ recolheram vestígios e impressões digitais nas portas e interior do automóvel e já devolveram o carro às vítimas. A viatura estava ontem estacionada no interior da casa assaltada.

TURISTAS ALGARVE CASAS TIROS GANG LAGOA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)