Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ataque de coração

A Polícia Judiciária (PJ) acredita que o subcomissário Amílcar Gaspar, oficial da PSP que apareceu morto anteontem no parque de estacionamento do Hospital Amadora-Sintra, morreu vítima de um fulminante ataque de coração. O relatório da autópsia deverá servir apenas para oficializar esta convicção, colocando assim de parte a hipótese de crime.
10 de Novembro de 2007 às 00:00
O oficial da PSP faleceu no parque do Hospital Amadora-Sintra
O oficial da PSP faleceu no parque do Hospital Amadora-Sintra FOTO: Jorge Godinho
Os últimos momentos da vida do antigo comandante da esquadra da Venda Nova foram traçados pela PJ mediante o interrogatório a uma mulher que esteve com o oficial da PSP. Fundamental foi também a recolha de vestígios no Citroën AX conduzido pelo subcomissário Gaspar e outros encontrados na zona do parque de estacionamento do Hospital Amadora-Sintra, onde a viatura estava estacionada.
Segundo fonte policial, os especialistas forenses que recolheram o cadáver suspeitam que a morte se deveu a “entupimento da coronária”. A doença súbita terá acontecido quando este se encontrava com a mulher – já interrogada pela PJ – numa residência no concelho da Amadora. Assustado, e consciente dos problemas cardíacos de que padecia, o subcomissário entrou na sua viatura e conduziu em direcção ao Hospital Amadora-Sintra.
As fortes dores no peito que deveria estar a sentir levaram-no a estacionar o automóvel à pressa. Há registo de que o oficial da PSP ainda tenha saído da viatura, em busca de ajuda. No entanto, acabou por regressar à mesma, sentando-se no banco de trás, onde veio a falecer.
O subcomissário Amílcar Gaspar, 51 anos, deixa viúva e um filho de 20 anos, que estão a receber apoio psicológico da PSP.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)