Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Atestava o depósito do carro e fugia sem pagar

Um mês foi o tempo que um condutor, imigrante ucraniano, conseguiu andar de graça à custa das gasolineiras nas áreas de serviço entre Lisboa e Alenquer. O esquema era simples: enchia o depósito do carro numa estação de serviço e partia sem pagar.
7 de Junho de 2006 às 00:00
Apesar de usar dois carros de marcas diferentes e, mesmo, de falsificar as chapas de matrícula, uma patrulha do destacamento do Carregado da Brigada de Trânsito acabou por lhe deitar a mão, na noite da última segunda-feira, junto à área de serviço de Aveiras, na A1. Os militares agiram após ter reconhecido a viatura em que o suspeito circulava (que já era procurada).
Instrumento indispensável aos militares da GNR, foram as fotos tomadas pelos sistemas de videovigilância de várias das bombas de gasolina onde o larápio se abasteceu e fugiu. “Sabemos que, pelo menos desde há cerca de um mês, este imigrante furtou combustível nas áreas de serviço de Aveiras, da CREL, de Vila Franca de Xira e à entrada da Segunda Circular”, disse ontem ao CM uma fonte da BT.
A mesma fonte acrescentou que prosseguem as investigações com vista a apurar-se em quantas bombas de gasolina, ao todo, o ucraniano furtou combustível.
Ao mesmo tempo, este imigrante está também indiciado no furto de veículos, nos concelhos de Vila Franca e de Alenquer.
O suspeito, residente em Alenquer, usava duas viaturas diferentes: uma de marca Volkswagen e outra de marca Rover, e várias vezes mudava as chapas de matrícula dos veículos na tentativa de não ser reconhecido.
Os veículos usados nos furtos foram também apreendidos pela Brigada de Trânsito, bem como chapas de matrículas furtadas a outros automóveis.
Na altura da detenção, o indivíduo, que estava acompanhado por outros compatriotas, não ofereceu resistência. Os seus companheiros não foram detidos, já que não estão envolvidos nos crimes de que o ucraniano é suspeito.
Ontem à tarde, o detido foi presente ao Tribunal Judicial de Santarém, para ser ouvido em primeiro interrogatório. Os concessionários nas bombas de gasolina geralmente não fazem queixa deste tipo de furtos. É que, na realidade e por regra, os valores furtados são muito menores que as despesas inerentes à apresentação da queixa no Tribunal, desde taxas de justiça a advogados, o que desmotiva os donos das gasolineiras de recorrer à Justiça.
PJ DE COIMBRA APANHOU CINCO SUSPEITOS
A PJ de Coimbra deteve cinco suspeitos de vários roubos à mão armada, praticados em postos de abastecimento de combustíveis da zona de Oliveira do Hospital.
Segundo a PJ, os detidos têm idades entre 20 e 26 anos, actuavam em dois grupos autónomos e terão assaltado pelo menos quatro bombas, em Oliveira do Hospital, Venda de Galizes e Lagares da Beira. Os roubos, praticados em Abril, causaram “grande alarme social”, pois num deles o funcionário do estabelecimento foi ferido com uma arma branca. Na sequência das detenções, a PJ apreendeu uma faca, gorros de disfarce e duas viaturas – uma viciada –, que terão sido utilizadas nos assaltos. Um dos grupos, indiciado pela prática de três roubos, era constituído por dois homens e uma mulher.
O segundo tinha dois elementos, que são suspeitos da prática de um dos roubos. No entanto, prosseguem as investigações para apurar um possível envolvimento dos dois homens noutros crimes. Dos cinco detidos, dois ficaram a aguardar julgamento com pulseira electrónica.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)