Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Atingido por bala perdida ao brincar com o filho

Situada numa luxuosa zona costeira de Vila Nova de Gaia, a Praceta Sargento Silva perdeu o sossego a que estava habituada. Há pouco mais de uma semana um morador foi atingido por uma bala perdida, quando brincava com o filho de onze anos no jardim das traseiras da moradia – numa urbanização de luxo, em São Félix da Marinha, Gaia, perto do mar.
20 de Novembro de 2006 às 00:00
O sossego deu lugar a uma onda de preocupação. “Quem está na sua própria casa, a brincar com um filho, não espera ver a sua vida a correr perigo ao ser atingido por uma bala que ninguém sabe de onde veio”, afirmou ao CM um vizinho que pede para não ser identificado.
HOSPITAL
A bala que atingiu o morador, de 41 anos, perfurou-lhe um pulmão, deixando-o em estado grave durante vários dias, na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Santos Silva, em Vila Nova de Gaia. Ontem à tarde, o ferido já tinha regressado a casa, mas não quis comentar o incidente. A mulher da vítima adiantou que o marido se encontra “demasiado perturbado com a situação e com a saúde muito debilitada”.
A bala perdida, que atingiu a vítima nas costas, acabou por ser retirada no hospital. Era uma munição de pequeno calibre. Mas até ao internamento, o morador desconhecia que tinha sido atingido por uma bala, acreditando ter-se sentido mal na sequência do esforço físico, visto que foi atingido quando jogava hóquei em patins com o filho mais novo, num pátio, nas traseiras da habitação.
PATRULHAMENTO
Os vizinhos da vítima afirmam que “nestes últimos meses” a zona tem sido alvo de vários assaltos. “Já arrombaram algumas casas e assaltaram vários carros, principalmente em garagens colectivas de prédios vizinhos das casas”, referiu um morador.
O incidente que feriu gravemente o habitante da Praceta Sargento Silva levou a população a fazer correr um abaixo-assinado, que deverá hoje ser entregue no posto da GNR de Arcozelo, que tomou conta deste peculiar incidente.
A Guarda Nacional Republicana de Arcozelo, que tomou conta da ocorrência, conta com cerca de 29 efectivos, mas apenas 12 estão destacados para fazer patrulhamento nas ruas. O posto serve quatro freguesias de Gaia (Arcozelo, Serzedo, São Félix da Marinha e Gulpilhares), o que se traduz num total de 65 mil pessoas.
FELISBELA ALVEJADA NA CABEÇA
Felisbela Dias fez ontem dez anos. No seu cérebro continua alojada a bala de calibre .22 que há cerca de três anos a atingiu, quando a menina brincava no pátio do infantário que frequentava, no Bairro do Pendão, Queluz. O projéctil ficou alojado no sistema nervoso central, na base do cérebro de Felisbela.
“Aparentemente a menina está bem. Na última consulta, o médico anunciou que não vão, em definitivo, extrair a bala da cabeça dela, uma vez que tudo estabilizou e ela pode levar uma vida normal e brincar sem problemas”, disse ao CM o padrinho da criança, Américo Lourenço.
Felisbela foi atingida na manhã de 16 de Abril de 2003 e os autores dos disparos foram dois jovens, também moradores no Pendão e na altura com 15 anos, ao experimentarem uma espingarda roubada na véspera do carro de um guarda-nocturno. O drama desta criança tocou o País, em especial os moradores do Pendão.
OUTROS CASOS
PORTEL
O capitão de Iniciados do Grupo Desportivo, Daniel Vital, com 14 anos, foi baleado com uma .22 quando se deslocava para os treinos a 4 de Janeiro. Perdeu o baço e sofreu ferimentos no estômago e fígado e não se sabe quem foi o autor do disparo.
LARANJEIRO
O filho do então juiz António Martins, hoje desembargador, foi atingido mortalmente, em 1994, com um tiro de caçadeira disparado para o pátio da escola que a criança frequentava.
RIXA
Uma menina de quatro anos foi ferida por uma bala perdida numa rixa entre grupos, no Laranjeiro, em Setembro de 2001. Três anos depois, a criança ainda apresentava sintomas de forte traumatismo psicológico.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)