Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Atira a matar contra carros com crianças

Não houve feridos “por milagre” e o suspeito, que diz ter agido por amor, foi libertado.
4 de Maio de 2010 às 00:30
Atira a matar contra carros com crianças
Atira a matar contra carros com crianças FOTO: Vasco Neves

Em plena luz do dia, e cerca de uma hora antes de começar o FC Porto - Benfica, um jovem de 26 anos decidiu, anteontem à tarde, ir para uma das janelas de sua casa, na Baixa da Banheira, Moita, e começar a disparar uma pistola contra os carros que passavam na estrada. Atirou de forma aleatória e, ao todo, acertou em três viaturas, duas delas com crianças no interior. Só por acaso não provocou feridos.

Quando a PSP entrou em casa do suspeito, não só encontrou a pistola e várias munições, como o homem se justificou dizendo que o tinha feito devido a um desgosto de amor, o que não convence os vizinhos. Presente ao Tribunal da Moita, o caso baixou a inquérito e o homem saiu em liberdade com Termo de Identidade e Residência.

Foi do 3º andar de um prédio da avenida da Liberdade, para onde se tinha mudado há cerca de um mês com a mãe, que o suspeito começou a disparar indiscriminadamente contra os carros com uma pistola de calibre .22. O primeiro alvo foi o veículo de um casal, que transportava duas crianças atrás, que parou num sinal vermelho a 50 metros de distância. A bala ficou cravada na porta do condutor, que, de imediato, foi alertar as autoridades. Quando a PSP do Barreiro chegou ao local, já outras duas viaturas tinham sido atingidas. Pelo meio, disparou na direcção de um café, com cerca de 15 pessoas que se preparavam para ver o jogo de futebol. Terá sido a mãe do atirador quem lhe tirou a arma da mão, quando percebeu o que se estava a passar.

'Não sabemos quem é a pessoa, pois mora aqui há pouco tempo. Mas estávamos aqui todos quando percebemos que um carro que estava no semáforo foi atingido. Depois, ele atirou na nossa direcção e fomos todos para dentro. Chegou a polícia, que entrou na casa e só o levou cerca de uma hora depois', diz um dos clientes do café. 'Ainda não consigo acreditar como é que ele dispara para os carros e não acerta nos ocupantes. Só por milagre ninguém ficou ferido'.

PORMENORES

SEIS TIROS DISPARADOS

A PSP encontrou seis cápsulas de projécteis disparados, uma arma, 123 munições, um silenciador e dois apoios de punho.

SOLTO PELO JUIZ

O juiz de instrução terá sido sensível ao estado emocional do atirador, libertando-o.

Ver comentários