Atriz a 221 km/h sai impune

O vídeo terá sido filmado em 2011.
Por J.C.R.|27.09.16
O Ministério Público arquivou o inquérito à condução de um comboio Alfa por uma atriz brasileira, cujo vídeo foi divulgado em 2014 na internet. Nem a mulher – Halima Abboud, que fez o papel de stripper no filme ‘Call Girl’ –, nem o maquinista que alegadamente a convidou para entrar na cabine serão responsabilizados pelo sucedido.

O vídeo, que terá sido filmado em 2011, mostra uma mulher estranha à CP a conduzir um comboio Alfa entre Lisboa e Porto a uma velocidade de 221 km/h. De acordo com o regulamento da CP, esta situação é proibida e constitui uma infração passível de consequências disciplinares ou criminais.

Após a divulgação do vídeo, a CP participou o caso às autoridades, alegando dificuldades em apurar qual foi comboio, quem era o maquinista, a data e a hora da viagem. A investigação do DIAP não encontrou fundamento para avançar com uma acusação e o processo foi arquivado. Por esclarecer ficam os motivos que levaram o maquinista a convidar a atriz para a cabine do Alfa Pendular.


pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De  Anónimo 27.09.16
    «A investigação do DIAP não encontrou fundamento para avançar com uma acusação e o processo foi arquivado.» <br/>Uma vulgar cidadã sem formação de maquinista fica ilegalmente aos comandos de um comboio cheio de passageiros a circular a 220 km/h e o ministério público não encontrara fundamento?
2 Comentários
  • De antonio.canivete27.09.16
    Pagar deve ter pago para conduzir o comboio, deve ter sido é na horizontal tenho dito
    Responder
     
     0
    !
  • De  Anónimo 27.09.16
    «A investigação do DIAP não encontrou fundamento para avançar com uma acusação e o processo foi arquivado.»
    Uma vulgar cidadã sem formação de maquinista fica ilegalmente aos comandos de um comboio cheio de passageiros a circular a 220 km/h e o ministério público não encontrara fundamento?
    Responder
     
     0
    !