Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Atropelada na paragem do autocarro

Uma mulher de 52 anos de idade morreu ontem de manhã, em Vilaça, concelho de Braga, vítima de atropelamento, quando esperava, na paragem, o autocarro para a cidade. O corpo foi projectado e foi parar no cimo de um muro com quatro metros de altura.
7 de Maio de 2005 às 00:00
O corpo de Maria Glória foi parar a uma altura de quatro metros
O corpo de Maria Glória foi parar a uma altura de quatro metros FOTO: Sérgio Freitas
Maria da Glória Ferreira Fernandes Oliveira foi colhida com grande violência por um carro que entrou em despiste, quando tentava fazer uma ultrapassagem.
Ao que o CM apurou, a condutora do automóvel que entrou em despiste, que teve de ser hospitalizada por se encontrar em estado de choque, perdeu o controlo do carro quando tentou realizar uma ultrapassagem numa recta, a descer ligeiramente e com boa visibilidade.
Devido à violência do embate, o corpo da vítima mortal foi projectado a mais de 20 metros de distância, indo parar ao cimo de um muro de pedra a cerca de 4 metros de altura.
Aliás, para aceder ao corpo, os Bombeiros e os membros do INEM envolvidos na operação tiveram de utilizar escadas.
“Coitada da mulher, esperava aqui todos os dias o autocarro das 9h40 para Braga e hoje (ontem) foi a última vez”, disse ao CM uma vizinha da vítima, que residia na freguesia de Fradelos.
Fonte da Brigada de Trânsito disse que a causa do acidente foi o “despiste da viatura”, mas não deixou de sublinhar o facto de aquela paragem não ter “quaisquer condições de segurança para os passageiros”.
Ver comentários