Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Aumentam casos de cancro colorectal

Entre 5.500 e 6.000 novos casos de cancro colorectal são diagnosticados todos os anos em Portugal, sendo que metade deles resultará na morte do doente, revelou esta sexta-feira o presidente do Grupo de Investigação do Cancro Digestivo (GICD), Evaristo Sanches.
29 de Setembro de 2006 às 14:49
Em conferência de imprensa, realizada no âmbito das comemorações do Dia Nacional do Cancro Digestivo, que se assinala sábado, Evaristo Sanches afirmou que a incidência deste tumor continua a aumentar em Portugal e na Europa.
“Esta é um doença do mundo ocidental” que tem origem, nalguns casos, “em erros genéticos hereditários”, mas a maior parte das vezes as causas são adquiridas pelo doente.
O sedentarismo, o consumo de tabaco, uma vida desregrada e a ingestão de carnes vermelhas e alimentos ricos em calorias e gorduras estão entre as principais causas atribuídas pelos investigadores aos doentes com este tipo de cancro .
Refira-se que o cancro colorectal ocupa o segundo lugar nas mortes por cancro em Portugal, é o terceiro cancro mais comum a nível mundial e o que tem maior incidência na Europa.
Segundo dados hoje divulgados, 40 por cento dos europeus a quem foi diagnosticado este tumor vai morrer vítima da doença. Contudo, se diagnosticado precocemente, este tumor “tem uma enorme capa cidade de cura, superior a 80 por cento”, explicou Evaristo Sanches.
Entre os sintomas mais frequentes encontram-se a alteração dos hábitos intestinais, sangue nas fezes, perda de peso inexplicada, cansaço constante, náuseas e vómitos.
Ver comentários