Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

AUTARCAS CONTRA CAPITÃO

Os autarcas dos concelhos de Ourique e Almodôvar estão de ‘candeias à avessas’ com o comandante do Destacamento da GNR de Almodôvar. Em causa está, segundo o presidente da edilidade ouriquense, “atitudes persecutórias, de coacção psicológica sobre a população e de excesso de zelo”, nomeadamente no que respeita ao controlo da taxa de alcoolemia à saída de locais de diversão e convívios populares.
10 de Julho de 2002 às 21:28
José Raul dos Santos reclama “a transferência do capitão Lopes dos Santos”. Em declarações ao CM, o edil revelou já ter solicitado uma audiência ao ministro da Administração Interna e ao Comando da Brigada 3 da GNR.

"Não nos bastavam já os episódios sinistros de um tempo que não queremos de volta para termos, de novo, na nossa terra, alguém que julga estar no faroeste ou nas ruas de Chicago", revela.

Por seu turno, o presidente da Câmara de Almodôvar, António Sebastião, em declarações à Lusa diz que "em termos policiais tem havido alguma melhoria no concelho mas a filosofia de actuação da GNR devia ser diferente, mais pedagógica e em consonância com os munícipes. A auto-ridade deve ser respeitada e não temida", defendeu.

Fonte da GNR referiu "que até ao momento esta autoridade ainda não recebeu nenhuma queixa ou denúncia por parte das autarquias, daí que não tenha tomado qualquer posição oficial sobre o assunto". Entretanto, a Associação dos Oficiais da Guarda salienta que a "atitude rigorosa do capitão da GNR se enquadra no estrito cumprimento das suas funções", ou seja, "fiscalizando indistintamente qualquer entidade, seja ela ou não mediática.

Uma posição que a Câmara de Ourique considerou já como uma tentativa de desacreditar Raul Santos e de mostrar “falta de argumentos” justificativos da actuação do capitão da GNR.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)