Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Autarquias com pouca transparência em impostos e taxas

Só cinco câmaras têm boa nota. Há 189 municípios que chumbam no exame, incluindo Sintra.
Diana Ramos 8 de Novembro de 2014 às 09:33
Câmara de Lisboa está perto de um desempenho insuficiente FOTO: Natália Ferraz

As autarquias são pouco transparentes no que toca à gestão financeira, nomeadamente na informação sobre impostos, taxas e preços, bem como nas questões da contratação pública.

Num índice realizado pela Associação Transparência e Integridade (TIAC), só cinco municípios têm nota positiva e 189 chumbam no ranking. O exame ao poder local foi feito através da análise às páginas da internet das câmaras municipais e da informação lá incluída.

Os cinco municípios com maior transparência de dados económicos e financeiros são Alfândega da Fé, Carregal do Sal, Torres Novas, Porto de Mós e Mirandela. Por outro lado, os que revelam menos transparência são Belmonte, São Roque do Pico, Miranda do Douro, Vila do Conde e Crato.

A Câmara do Porto está numa boa posição, com um desempenho aceitável, em 28º lugar.

Ainda a Norte, Vila Nova de Gaia também tem nota positiva. Já Lisboa, apesar de se apresentar com uma nota aceitável, está perto do desempenho insuficiente, em 113º lugar na lista de municípios.

Também Sintra está colocada no fim do ranking, com nota negativa, descendo da 66ª posição em 2013 para a 197ª este ano.

O líder da TIAC, Luís de Sousa, diz que "os resultados mostram que nas áreas mais sensíveis da atividade municipal, que envolvem a gestão financeira e a contratação de bens ou serviços, continua a haver uma persistente falta de transparência".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)