Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

AUTOCARRO FURTADO DE PARQUE

Um autocarro de passageiros com 51 lugares foi furtado na noite de sábado de um parque da empresa ‘Alhandra Tour’, naquela localidade do concelho de Vila Franca de Xira.
8 de Outubro de 2003 às 00:00
O autocarro ia ser devolvido, segundo Rosa Góis, gerente da Alhandra Tour
O autocarro ia ser devolvido, segundo Rosa Góis, gerente da Alhandra Tour FOTO: Natália Ferraz
O veículo, um DAF SB 300, de matrícula 14-72-OR, adquirido cerca de seis meses antes, estava, segundo a empresa lesada, para ser devolvido ao seu anterior proprietário devido a várias anomalias legais, nomeadamente a falta de licença internacional de circulação, o que contraria a primeira cláusula do contrato de compra e venda que diz que o veículo era vendido livre de ónus e encargos.
Por outro lado, uma inspecção feita já este mês detectara um conjunto de deficiências que, segundo os especialistas, são impossíveis de terem ocorrido em seis meses, o que leva à suspeita que a anterior ficha de inspecção seja falsificada.
No dia seguinte a ser comunicada a devolução ao antigo proprietário, uma empresa do ramo, o autocaro foi furtado em situações misteriosas.
“As últimas pessoas a serem vistas junto ao autocarro por um dos nossos condutores foi o motorista que fizera com ele um serviço [exterior à empresa e para o qual fora contratado] e a sua companheira. Depois de um momento de distracção, a mulher do nosso motorista, que também estava presente, deu pela falta do autocarro”, disse ao CM Rosa Góis, gerente da empresa ‘Alhandra Tour’.
Quem furtou o pesado deixou para trás um outro autocarro, novo, que vale cerca do dobro do veículo levado. “Para mais, o autocarrro em causa - sublinha Rosa Góis - tem um sistema de ignição que só quem já tenha trabalhado com ele é que consegue pôr em marcha.”
“Tudo isto é muito estranho e temos na nossa posse uma gravação de um telefonema entre dois dos suspeitos, em que se afirma que aquele autocarro se destina a Angola”, acrescentou aquela empresária.
Na referida gravação, a que o nosso jornal teve acesso, um dos suspeitos reconhece que o comparsa, um empresário, o tinha aliciado para desviar o autocarro anteriormente.
O CM tentou durante o dia de ontem contactar uma das pessoas visadas pela ‘Alhandra Tour’, embora tal não tenha sido possível até ao fecho da nossa edição.
A GNR recebeu já uma queixa e procede a averiguações.
CARROS PARA ÁFRICA SÃO 'MINA DE OURO'
O furto de veículos, sobretudo topo de gama, com destino aos mercados africanos, são uma constante em toda a União Europeia, tendo especial incidência na Alemanha, França e Espanha.
A maioria dos carros furtados são passados para Marrocos e depois levados, muitas vezes por pistas pelo deserto, para a África sub-sahariana, onde é extremamente fácil estes veículos serem ‘branqueados’.
Portugal não foge a esta regra, embora em pequena escala, mas o roubo de um autocarro destinado a ser exportado para África é inédito.
A gravação de uma conversa telefónica entre dois dos suspeitos indica precisamente um futuro destino africano para o veículo furtado sábado em Alhandra, havendo suspeitas que esteja a ser pintado na cor original indicada no livrete, o branco.
Um negócio que faz correr milhões de euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)