Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Autópsia de triplo homicida realiza-se segunda-feira

A autópsia ao cadáver do triplo homicida de Beja, encontrado esta sexta-feira enforcado na cela, deverá ser realizada na segunda-feira pelo Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), em Lisboa, disse à agência Lusa fonte do organismo.
17 de Fevereiro de 2012 às 16:52
Bombeiros retiraram os três cadáveres da vivenda, situada bem no centro de Beja
Cátia e Maria foram encontradas na mesma cama. Mistério quanto à paternidade da criança de quatro anos fez com que a polícia desconfiasse de incesto
Benvinda Esperança não escapou à fúria do seu marido, sendo assassinada à catanada
Vivenda estava à venda, mas a imobiliária desistiu entretanto do negócio, por considerar que ninguém quererá ali viver
Contingente policial evitou confrontos com os muitos populares que aguardavam a sua chegada
Francisco Esperança foi retirado da sua residência por agentes da PSP na noite de segunda-feira. Lá dentro encontravam-se os cadáveres da mulher, da filha e da neta
Receio de represálias levou à transferência do triplo homicida para o Estabelecimento Prisional de Lisboa na quinta-feira. Horas depois suicidou-se na cela
As três mulheres terão morrido na quarta-feira anterior e o ex-bancário continuou a fazer a sua vida normal durante quase uma semana
Foi com gritos de 'assassino!' que Francisco Esperança se deparou ao chegar ao Tribunal de Beja na quarta-feira, onde foi decidido que aguardaria julgamento em prisão preventiva
A PSP foi alertada pelo namorado da filha, que não conseguia entrar em contacto com Cátia Zambujo Esperança há vários dias
Comoção foi ainda maior no momento em que o pequeno caixão de Maria foi transportado
O comandante da PSP de Beja, Viola da Silva, confirmou a descoberta dos três cadáveres
O velório das três vítimas causou comoção, apesar dos muitos problemas que separavam Benvinda Esperança dos seus irmãos
Investigadores recolheram provas no local do crime, onde até os animais domésticos foram chacinados pelo sexagenário
Uma cunhada do triplo homicida ficou em estado de choque ao aperceber-se do que tinha acontecido
Francisco Esperança foi levado para os calabouços da PSP de Beja
A família tinha uma loja de lingerie na cidade alentejana
Centenas de pessoas compareceram ao funeral de Benvinda, Cátia e Maria
O namorado de Cátia Zambujo Esperança esteve no cemitério de Beja para se despedir da sua amada
Bombeiros retiraram os três cadáveres da vivenda, situada bem no centro de Beja
Cátia e Maria foram encontradas na mesma cama. Mistério quanto à paternidade da criança de quatro anos fez com que a polícia desconfiasse de incesto
Benvinda Esperança não escapou à fúria do seu marido, sendo assassinada à catanada
Vivenda estava à venda, mas a imobiliária desistiu entretanto do negócio, por considerar que ninguém quererá ali viver
Contingente policial evitou confrontos com os muitos populares que aguardavam a sua chegada
Francisco Esperança foi retirado da sua residência por agentes da PSP na noite de segunda-feira. Lá dentro encontravam-se os cadáveres da mulher, da filha e da neta
Receio de represálias levou à transferência do triplo homicida para o Estabelecimento Prisional de Lisboa na quinta-feira. Horas depois suicidou-se na cela
As três mulheres terão morrido na quarta-feira anterior e o ex-bancário continuou a fazer a sua vida normal durante quase uma semana
Foi com gritos de 'assassino!' que Francisco Esperança se deparou ao chegar ao Tribunal de Beja na quarta-feira, onde foi decidido que aguardaria julgamento em prisão preventiva
A PSP foi alertada pelo namorado da filha, que não conseguia entrar em contacto com Cátia Zambujo Esperança há vários dias
Comoção foi ainda maior no momento em que o pequeno caixão de Maria foi transportado
O comandante da PSP de Beja, Viola da Silva, confirmou a descoberta dos três cadáveres
O velório das três vítimas causou comoção, apesar dos muitos problemas que separavam Benvinda Esperança dos seus irmãos
Investigadores recolheram provas no local do crime, onde até os animais domésticos foram chacinados pelo sexagenário
Uma cunhada do triplo homicida ficou em estado de choque ao aperceber-se do que tinha acontecido
Francisco Esperança foi levado para os calabouços da PSP de Beja
A família tinha uma loja de lingerie na cidade alentejana
Centenas de pessoas compareceram ao funeral de Benvinda, Cátia e Maria
O namorado de Cátia Zambujo Esperança esteve no cemitério de Beja para se despedir da sua amada
Bombeiros retiraram os três cadáveres da vivenda, situada bem no centro de Beja
Cátia e Maria foram encontradas na mesma cama. Mistério quanto à paternidade da criança de quatro anos fez com que a polícia desconfiasse de incesto
Benvinda Esperança não escapou à fúria do seu marido, sendo assassinada à catanada
Vivenda estava à venda, mas a imobiliária desistiu entretanto do negócio, por considerar que ninguém quererá ali viver
Contingente policial evitou confrontos com os muitos populares que aguardavam a sua chegada
Francisco Esperança foi retirado da sua residência por agentes da PSP na noite de segunda-feira. Lá dentro encontravam-se os cadáveres da mulher, da filha e da neta
Receio de represálias levou à transferência do triplo homicida para o Estabelecimento Prisional de Lisboa na quinta-feira. Horas depois suicidou-se na cela
As três mulheres terão morrido na quarta-feira anterior e o ex-bancário continuou a fazer a sua vida normal durante quase uma semana
Foi com gritos de 'assassino!' que Francisco Esperança se deparou ao chegar ao Tribunal de Beja na quarta-feira, onde foi decidido que aguardaria julgamento em prisão preventiva
A PSP foi alertada pelo namorado da filha, que não conseguia entrar em contacto com Cátia Zambujo Esperança há vários dias
Comoção foi ainda maior no momento em que o pequeno caixão de Maria foi transportado
O comandante da PSP de Beja, Viola da Silva, confirmou a descoberta dos três cadáveres
O velório das três vítimas causou comoção, apesar dos muitos problemas que separavam Benvinda Esperança dos seus irmãos
Investigadores recolheram provas no local do crime, onde até os animais domésticos foram chacinados pelo sexagenário
Uma cunhada do triplo homicida ficou em estado de choque ao aperceber-se do que tinha acontecido
Francisco Esperança foi levado para os calabouços da PSP de Beja
A família tinha uma loja de lingerie na cidade alentejana
Centenas de pessoas compareceram ao funeral de Benvinda, Cátia e Maria
O namorado de Cátia Zambujo Esperança esteve no cemitério de Beja para se despedir da sua amada

"Tudo indica que a autópsia será realizada na segunda-feira", afirmou a fonte.

O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa revelou que recebeu a participação da morte do homicida e ordenou a instauração de um inquérito para a realização de autópsia.

O corpo de Francisco Esperança foi encontrado enforcado na cela do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), para onde tinha sido transferido na quinta-feira à tarde.

A Direcção-Geral dos Serviços Prisionais (DGSP) já abriu um inquérito para apurar o que aconteceu na cela e o Ministério Público anunciou que iria igualmente averiguar as condições em que ocorreu esta morte.

O director-geral dos Serviços Prisionais, Rui Sá Gomes, disse que o preso tinha sido transferido para Lisboa, por razões de segurança, e que estava numa ala "de vigilância acrescida".

Segundo um comunicado da DGSP, o recluso tinha dado entrada no Estabelecimento Prisional de Lisboa a 16 de Fevereiro, pelas 18h00, por razões de ordem e segurança que não estavam reunidas no Estabelecimento Prisional de Beja.

Francisco Esperança foi colocado numa zona do Estabelecimento Prisional de Lisboa "com apertadas condições de vigilância, que garantiam a segurança necessária face aos demais reclusos", acrescenta.

De acordo com a DGSP, o recluso foi observado pelo enfermeiro de serviço à chegada e estava "calmo, consciente e orientado".

"No período que permaneceu sozinho na cela, entre as 21h15 e a 01h00 da manhã, hora em que foi encontrado sem vida, foi objecto de vigilância através de várias rondas", explicou a Direcção-Geral dos Serviços Prisionais.

Francisco Esperança, um antigo bancário de Beja, de 59 anos, foi detido por suspeitas de ter assassinado à catanada a mulher, a neta e a filha e mantido os corpos em casa durante uma semana.

Após a detenção, elementos da PSP entraram na casa, na rua de Moçambique, em Beja, onde encontraram os cadáveres da mulher, de 53 anos, da filha, de 28, e da neta, de quatro, cujos funerais se realizaram quarta-feira à tarde.

O homem, que já tinha cumprido pena de prisão por um desfalque no banco onde trabalhou, incorria numa pena entre 12 e 25 anos de prisão por cada um dos três crimes de homicídio.

morte autópsia enforcamento cela prisão homicida beja
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)