Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Avaria e condução perigosa matam cinco

Horas antes do violento acidente que matou no sábado quatro emigrantes portugueses em França, a passageira mais nova do táxi de nove lugares mandou uma mensagem a um familiar que parecia estar a adivinhar a tragédia. "Vamos a uma velocidade louca, o homem parece que vai cansado e só vai a fazer asneiras", escreveu num SMS Melanie Pereira, de 19 anos, segundo disse ontem ao CM um familiar das vítimas.

3 de Agosto de 2009 às 00:30
Autocarro com nove portugueses galgou o separador e bateu em dois carros, matando o condutor holandês de um deles
Autocarro com nove portugueses galgou o separador e bateu em dois carros, matando o condutor holandês de um deles FOTO: Thomas Jouhannaud

Joaquim Vicente Alves, 63 anos, fazia o transporte de emigrantes 'há mais de vinte anos'. As pessoas que com ele viajaram várias vezes asseguram que 'era muito cuidadoso ao volante'. Mas nesta sua última corrida terá sido atraiçoado por uma avaria mecânica.

Tinha partido sábado de madrugada da zona de Paris com nove passageiros. Por voltas das 13h00, perto de Limoges, perdeu o controlo da viatura, invadiu a faixa contrária e foi embater nas viaturas que seguiam em sentido contrário.

O embate provocou-lhe a morte, assim como a José Marques, 65 anos, Ilídia Martins Gameiro, 65 anos, e a Manuel José Dias Martins, 69 anos. Os restantes cinco passageiros ficaram feridos, dois em estado grave. No acidente morreu também um cidadão holandês e três ficaram feridos. 'Foi uma tristeza que nos caiu em cima', lamentam os familiares das vítimas, em Gonçalo (Guarda) e Vale Espinho (Sabugal).

OS MORTOS

JOSÉ MARQUES

Natural da freguesia de Gonçalo, Guarda, estava reformado e vinha passar férias com a mulher, que ficou ferida.

ILÍDIA MARTINS GAMEIRO

Estava casada com Manuel José Dias Martins. O casal residia em Vale Espinho, Sabugal.

MANUEL JOSÉ D. MARTINS

Vinha com frequência a Portugal, com a mulher, para passar uns meses em Vale Espinho.

JOAQUIM VICENTE ALVES

Taxista de profissão, efectuava o transporte de emigrantes para França com regularidade.

PAGARAM 120 EUROS POR VIAGEM

O condutor do mini-bus, Joaquim Vicente Alves, era um dos sócios da empresa Sociedade Alves Vicente, especializada em transportes de passageiros entre Portugal e França. A empresa, que tinha como principais clientes os emigrantes, cobrava 120 euros por pessoa, por cada viagem. O veículo, de matrícula francesa era habitualmente conduzido por Joaquim, que fazia esta rota há mais de 20 anos.

'ÍAMOS RECUSAR CONTINUAR A NOSSA VIAGEM'

'Íamos parar na estação de serviço e recusar continuar a viagem. Mas não chegámos lá.' Foi ainda muito abalado e num cama do Hospital de Limoges que Raimundo Marques contou ontem ao CM o drama que viveu no acidente em França.

'Tínhamos feito 400 quilómetros quando mandei o condutor parar o bus porque havia um barulho estranho no motor. Ele tentou arranjar o radiador, mas pouco depois de arrancarmos ouvi um estrondo. Ele não conseguiu segurar o bus e passámos para a outra faixa', relatou ao CM Raimundo, que ficou ferido num braço e diz ter perdido 'muito sangue'.

A vítima diz que o veículo tinha tido um acidente há poucos dias e que não terá sido bem reparado.

CINCO DA MESMA FAMÍLIA NA CARRINHA

A família Marques, da freguesia de Gonçalo, foi a mais atingida pela tragédia. José Marques morreu, a mulher, Maria José Marques, ficou em estado grave e a neta, Melanie Pereira, sofreu ferimentos ligeiros. O irmão de Maria José, Raimundo Marques, de 70 anos, e a mulher, Natividade, de 67, sofreram ferimentos. Adília Marques, cunhada dos dois casais, também ficou ferida. O marido livrou-se do acidente porque tinha vindo dias antes com um familiar.

Adélia Dias Marques, sobrinha das vítimas, costumava acompanhar os familiares na viagem, mas desta vez atrasou-se a fazer a marcação e teve de arranjar uma alternativa com o marido porque a viatura estava cheia. 'Parece que foi Nosso Senhor que ajudou', desabafou Adélia ao CM.

FERIDOS: À ESPERA DE ALTA

Dois dos cinco feridos aguardavam ontem, à hora do fecho desta edição, receber alta do Hospital Universitário de Limoges. Familiares de Gonçalo estavam ansiosos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)