Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

AVEIRO: FEIRA DE MARÇO RENOVADA

A Feira de Março conhece este ano uma nova fase na sua vida, ao cabo de 569 anos de existência. O novo Parque de Feiras e Exposições recebe finalmente aquele que é o certame de ouro da cidade de Aveiro.
26 de Março de 2003 às 00:05
As crianças são as que tiram maior partido da parte lúdica da feira
As crianças são as que tiram maior partido da parte lúdica da feira FOTO: Direitos Reservados
A casa nova, que possibilitou a duplicação do número de expositores, que se cifra em 185 empresas, serve também de pólo de atracção para uma edição marcada pela crise no País. Este é, aliás, o receio comum a todos os participantes, que encaram a feira como “a melhor forma de mostrar produtos e estabelecer negócios para o resto do ano”.

A autarquia de Aveiro, que fez um grande esforço para ter tudo pronto a tempo da abertura, ontem de manhã, está esperançada que “o número de visitantes suba muito mais, para além das 30 mil pessoas que todos os fins-de-semana, entre 25 de Março e 25 de Abril, cruzam os portões da feira”, segundo salienta o presidente, Alberto Souto.

Para já, o problema maior é o estacionamento, como reconhece o autarca. “Estamos ainda a trabalhar para ampliar os cerca de mil lugares que temos disponíveis. Pensamos que no próximo fim-de-semana já haja mais 250 lugares para estacionamento”, esclarece.

VELHAS ATRACÇÕES

O facto de a feira se ter mudado de um espaço no centro da cidade para uma zona nova da cidade preocupa alguns dos participantes. A este propósito, Alberto Souto refere que “tudo é uma questão de hábito”, acrescentando que “é bom que se abram outras alternativas, onde o conforto é evidente, e é também saudável que as pessoas aprendam a usar os transportes públicos, que vão estar à sua disposição, abdicando o mais possível do carro próprio”.

A par dos expositores em espaço fechado, a Feira de Março é uma atracção para todas as gerações, uma vez que apresenta um cariz único, um misto de certame económico e feira popular.

Quem tira mais partido do espaço de diversões são os mais novos, que aproveitam um mês inteiro para se divertirem. É tradição que as escolas e infantários aproveitem para fazer excursões à Feira de Março.

“Ao longo de muitas décadas, a feira foi-se adaptando às necessidades do público e às novidades, mas a sua essência continua lá”, aponta o vereador Domingos Cerqueira. Os almocreves deram lugar às empresas, os saltimbancos às diversões e as tascas continuam a oferecer comidas rápidas e populares.

COMERCIANTES GOSTAM DA ‘CASA NOVA’

É a quarta vez que a Feira de Março muda de lugar em mais de cinco séculos de História, mas é a primeira vez que se afasta dos canais da ria de Aveiro. Apesar de ter ‘fugido’ do centro da cidade, os comerciantes estão esperançados que o novo parque de feiras seja uma ‘lufada de ar fresco’.

Fátima Costa vende louças decorativas e artesanato há mais de 13 anos e afirma que “o espaço é muito bom”. Apesar de estar “colada ao palco” onde vão decorrer os espectáculos todos os fins-de-semana, esta comerciante acredita que “para além das pessoas que estão habituadas a vir, a novidade do espaço pode trazer muitas mais”.

Por seu turno, António Rodrigues, que gere um carrossel, é da opinião que “o facto de estar longe da cidade pode condicionar um pouco os visitantes, principalmente as crianças e jovens”.

Quem mais parece estar a ganhar com as comodidades proporcionadas pelo parque são os expositores comerciais do espaço fechado. Segundo António Moita, responsável de uma empresa de mobiliário, “as pessoas olham muito as facilidades e isso pode ser vantajoso para os negócios”.

Quanto ao público, que ontem estreou a feira renovada, as opiniões são também favoráveis. Marta Sousa, por exemplo, aproveitou a abertura para trazer a filha Tatiana, de dois anos, e manifesta-se encantada com aquilo que viu.

CARTAZ POPULAR

ANIMAÇÃO

Todos os fins-de-semana há animação especial, com cantores populares, festivais de folclore e bandas do momento. Pelo palco da feira vai passar o grupo Rio Samba Show (dia 12), a Girls Band Tayti e o cantor Pedro Miguéis (13 de Abril), a Escola de Samba Charanguinha de Ovar (dia 20), entre outros. O encerramento está a cargo de José Cid (dia 26 à noite) e grupo Adiafa, afamado pelo tema ‘As Meninas da Ribeira do Sado’, (dia 27, à tarde).

TASCAS

Um dos espaços de paragem obrigatória na Feira de Março é a área reservada às tasquinhas de comes-e-bebes, onde impera a bifana, o pão com chouriço e o caldo-verde. Estes locais transformam-se em espaços privilegiados de convívio à noite, e de alternativa para almoços rápidos. Para os mais gulosos existem as tradicionais farturas e os recém-chegados churros. Quem não dispensa comer de faca e garfo também arranja um espaço.

DIVERTIMENTOS

O cariz popular mantém-se bem vivo na secular feira, desde que chegaram, na Idade Média, os primeiros saltimbancos. Hoje, os divertimentos mecânicos são de nova tecnologia e respondem claramente a um público mais citadino. Os carrinhos de choque continuam a fazer as maravilhas de todas as gerações, enquanto os mais novos preferem concentrar as atenções noutros divertimentos de "cortar a respiração".
Ver comentários