Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Avião da Air Astana que aterrou em Beja há seis meses ainda sem solução

A aeronave Embraer E190 ainda se encontra na Base Aérea de Beja à espera da conclusão do processo.
Lusa 15 de Maio de 2019 às 21:17
Air Astana
Lisboa, Air Astana, Beja
Avião da Air Astana
Embraer da Air Astana
Air Astana
Lisboa, Air Astana, Beja
Avião da Air Astana
Embraer da Air Astana
Air Astana
Lisboa, Air Astana, Beja
Avião da Air Astana
Embraer da Air Astana
O presidente da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal revelou esta quarta-feira, em Alverca do Ribatejo, distrito de Lisboa, que ainda não há solução para o avião da Air Astana, que aterrou de emergência em Beja em novembro passado.

"Não podemos comentar nada relativo a esse evento até à publicação do relatório final", afirmou à agência Lusa Marco Tulio Pellegrini, adiantando que "a OGMA tem colaborado bastante na investigação com os órgãos da autoridade e de investigação".

Seis meses depois do incidente, a aeronave Embraer E190 ainda se encontra na Base Aérea de Beja à espera da conclusão do processo.

De acordo com Marco Tulio Pellegrini, tem havido reuniões frequentes com o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários.

Em 11 de novembro de 2018, o avião da Air Astana aterrou no aeroporto de Beja após ter declarado emergência.

Na ocasião, fonte aeronáutica disse à agência Lusa que o avião sofreu uma "falha crítica nos sistemas de navegação e controlo de voo".

O voo KZR 1388 descolou de Alverca às 13:21 e tinha como destino Minsk, capital da Bielorrússia.

Segundo a mesma fonte, o avião esteve a fazer manutenção nas oficinas da OGMA -- Indústria Aeronáutica de Portugal antes do incidente.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)