Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

BACTÉRIA ATÍPICA ATACA EM COIMBRA

É grave, o estado de saúde dos dois jovens que na passada semana deram entrada nos cuidados intensivos do Hospital dos Covões, em Coimbra, com a “doença do legionário”. Segundo o corpo clínico desta unidade de saúde, “os doentes permanecem internados sob prognóstico reservado”.
18 de Novembro de 2003 às 00:00
Os pacientes, ambos do sexo masculino e residentes em Coimbra, estão infectados com legionela pneumófila, uma bactéria que cresce e se propaga em ambientes quentes e húmidos. Em casos considerados extremos, como os presentes, a bactéria origina infecções graves nos pulmões e “pode até levar à morte” dos portadores.
Os sintomas da doença, segundo os especialistas, são muito semelhantes aos da gripe e, numa fase mais avançada, evoluem para um estado pneumónico “incaracterístico, atípico”. Ou seja: não é fácil traçar um quadro sintomático que possa identificar rapidamente a doença.
As autoridades de saúde da região Centro não estabelecem, no entanto, nenhuma relação entre os dois casos de infecção com legionela. O que se sabe é que ambos os doentes exercem a sua actividade profissional em Coimbra e em ambientes com ar condicionado, que é uma das formas mais comuns de propagação da bactéria. Ainda assim, as autoridades sanitárias realçam que a infecção não se propaga de pessoa para pessoa e que, “nesta altura do ano não é tão incomum quanto isso aparecerem casos de doença do legionário”.
Embora ambos os doentes tenham dado entrada no Hospital dos Covões na semana passada (um a 7 e outro a 11 de Novembro), os médicos da unidade de cuidados intensivos afirmam que “não se pode falar em epidemia”. Entretanto, as autoridades de saúde estão a tentar apurar a origem da legionela (um dos infectados é bancário, o outro funcionário público) com vista a evitar novas infecções.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)