Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Baleada por ladrões

Uma mulher de 68 anos foi baleada anteontem à tarde no centro de Setúbal quando resistiu a uma tentativa de roubo por esticão. Os autores do assalto fugiram numa motorizada e ainda atiraram sobre um serralheiro que se apercebeu da situação e tentou ajudar.
9 de Fevereiro de 2008 às 00:30
Eram 18h15 de quinta-feira e, como todos os dias, Gertrudes Tavares estava a sair do gabinete de contabilidade de que é proprietária na Rua das Alcaçarias, no Bairro do Salgado. Levava na mão uma mala, supostamente com dinheiro, quando foi surpreendida por dois indivíduos que se faziam transportar numa moto. A mulher tentou resistir mas os assaltantes sacaram de uma arma e dispararam, atingindo- -a no antebraço direito.
O proprietário de uma serralharia próxima apercebeu-se da situação e tentou ajudar a vizinha. O duo de assaltantes disparou também sobre o homem mas não o atingiram. Depois arrancaram a alta velocidade em direcção incerta, deixando a mulher estendida no chão.
Gertrudes Tavares foi assistida no local pelo INEM, que depois a transportou ao Hospital de São Bernardo, onde foi submetida a vários exames. Segundo fonte hospitalar, a mulher “perdeu muito sangue pois a bala atingiu uma artéria”. Na mesma noite a contabilista foi transferida para o Hospital Ortopédico de Santiago do Outão, onde ainda se encontra internada, fora de perigo.
Dos ladrões, nem sinal. A PSP de Setúbal esteve no local da ocorrência mas a investigação passou logo para a responsabilidade da Polícia Judiciária. No entanto, 24 horas depois do acto criminoso não havia pistas que conduzissem ao duo de assaltantes. “Não há nenhum elemento relevante que ajude à identificação dos suspeitos”, confessou ontem à tarde ao CM fonte da PJ.
De acordo com as autoridades, um dos indivíduos actuou de cara destapada, enquanto o outro nunca tirou o capacete da cabeça. Pela descrição, ambos são brancos e têm cerca de 20 anos.
INSEGURANÇA
O assalto de ontem – em pleno centro da cidade – voltou a trazer o problema da insegurança em Setúbal para a ordem do dia. Moradores e comerciantes estão revoltados. Receosos pela onda de assaltos que tem afectado os estabelecimentos comerciais há vários meses, os proprietários exigem mais policiamento nas ruas. Recorde-se, tal como o CM noticiou ontem, que só nesta semana três taxistas foram assaltados – um deles esfaqueado – na cidade sadina.
Também ontem, segundo a imprensa local, o marido de uma empregada que foi despedida de um talho do mercado do Livramento vingou-se e partiu as montras de um estabelecimento com um martelo. O proprietário do talho teve de pedir protecção policial.
GOVERNADORA E MAI GARANTEM UMA "SOLUÇÃO"
Contactada pelo CM, a governadora civil de Setúbal, Eurídice Pereira, adiantou que está a trabalhar em conjunto com o Ministério da Administração Interna para encontrar uma resposta aos últimos casos de criminalidade. “Ainda hoje [ontem] reuni com o ministro Rui Pereira e posso adiantar que vamos tomar medidas que serão operacionalizadas de imediato.” Eurídice Pereira não revelou que medidas serão postas em prática “para segurança das populações” e “para não querer dar trunfos àqueles que cometem os crimes”. “As medidas vão ser postas em prática sem ser reveladas. É algo que não se vai saber mas sim sentir.” A governadora salientou que “a resposta encontrada é a adequada para o problema. Se não for suficiente, cá estaremos para aumentar a sua eficácia”, completou. Entretanto, a Comissão Política de Setúbal do PSD acusou ontem, em comunicado, que “a cidade vive actualmente um clima de insegurança, onde se têm verificado inúmeros actos de violência sobre bens e pessoas”. O partido da oposição na autarquia sadina destaca “os diversos assaltos através de furto e roubo na zona histórica e comercial da cidade e também aos taxistas”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)