Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Banco combinou com a PJ a entrega do dinheiro

Armando Pinto, advogado do BPN, explicou ontem ao Tribunal da Boa-Hora como é que o banco montou uma armadilha ao grupo que pretendia receber cinco milhões de euros a troco de manter secretos documentos que julgava serem comprometedores para o banco.

19 de Fevereiro de 2009 às 00:30
Banco combinou com a PJ a entrega do dinheiro
Banco combinou com a PJ a entrega do dinheiro FOTO: Guilherme Santos

A 16 de Janeiro de 2008, Severiano Correia compareceu a mais uma de várias reuniões com Oliveira e Costa, mas desta vez fizeram-lhe uma oferta. "Foi combinado com a PJ entregar-lhe 50 mil euros em notas que estavam marcadas", contou ontem Armando Pinto em tribunal.

Severiano Correia, o negociador designado pelo grupo, não queria aceitar, porque esperava receber 2,5 milhões de euros, mas "após muita insistência" saiu do banco com o dinheiro. Foi detido pela PJ. Ele e mais quatro arguidos respondem pelo crime de extorsão.

Ver comentários